A verdade tenebrosa sobre o envolvimento da Princesa Diana com o ocultismo

Charles Gardner/ASSIST News Service

Em meio à propaganda espalhafatosa e nostalgia por causa do aniversário de 20 anos da morte trágica de Diana, a Princesa de Gales, sinto o dever de apontar algo que indivíduos politicamente corretos acham que é proibido mencionar, embora não seja um problema óbvio para todos, pois poucos na grande mídia biblicamente analfabeta estão conscientes de sua seriedade.

Bem recordo a preocupação que senti no verão de 1997 quando foi noticiado que Diana e seu amante, Dodi Al Fayed, estavam visitando uma médium espírita em Derbyshire, Inglaterra. Eles chegaram de helicóptero e havia muita cobertura da imprensa, como sempre era o caso quando a tão chamada “Dama de Copas” estava envolvida.

O acidente de carro em Paris em que o casal foi morto só duas semanas depois desse encontro mortal em Derbyshire deveria ter servido de aviso para milhões de outros que se envolvem no mundo tenebroso do ocultismo. Explicarei o que quero dizer com “encontro mortal” no momento oportuno.

Enquanto isso, Mohamed, o pai de Dodi, inventou uma teoria de conspiração bizarra em torno da tragédia — afirmando que foi um assassinato planejado pelo Palácio de Buckingham e pelo MI6 a fim de lidar com a suposta incompatibilidade de um possível parceiro muçulmano com uma mulher da realeza. Outros culparam os fotógrafos independentes perseguidores por causar o acidente enquanto um “chofer” aparentemente bêbado estava dirigindo a 100km/h para escapar deles.

Em retrospectiva, a maior parte da mídia pinta um quadro lustroso de Diana como uma vítima trágica de muito mal-entendido — e de fato ela foi: uma mulher bela rejeitada por seu marido, sua insegurança que a levou a buscar amor nos lugares errados. Sim, muito parecido com muitos casos em nossa época. Daí, a grande emoção e tristeza enquanto milhões, inclusive eu mesmo, podem se identificar com ela. (Aliás, a evidência de minha árvore genealógica chega a indicar uma conexão ancestral com os Spencers, a família de Diana).

Enquanto é certo e apropriado estender compaixão a William e Harry, filhos de Diana, por causa de sua perda triste de uma mãe evidentemente maravilhosa, foi animador obter uma perspectiva de certo modo diferente de Dominic Lawson, colunista do jornal britânico DailyMail, que revelou que a princesa havia desprezado seu conselho de ficar longe dos Fayeds.

Nas próprias palavras de Dominic, Mohamed Fayed não era “nada, a não ser problemas,” citando como exemplo “a natureza quase venenosamente polêmica do egípcio (então dono da famosa loja inglesa de departamentos Harrods) e o fato de que tendo sido condenado oito anos antes num relatório de 752 páginas do Ministério do Comércio como mentiroso e fantasiador serial, ele não era um anfitrião de feriados adequado para ela ou seus filhos.”

Mais grave ainda foi o desprezo dela aos avisos dados na Palavra de Deus, a Bíblia, descritos como “a coisa mais valiosa que este mundo proporciona” na coroação da rainha. Avisos contra consultar médiuns são repetidos em toda a Bíblia na qual a democracia ocidental — e a monarquia inglesa — foi construída, tais como: “Não vos voltareis para os que consultam os mortos nem para os feiticeiros; não os busqueis para não ficardes contaminados por eles. Eu sou o Senhor vosso Deus.” (Levítico 19:31 King James Atualizada) Veja também Levítico 20:27, onde a morte é a consequência, e Deuteronômio 18:11, onde é descrita como “detestável.” E em 1 Crônicas 10:13, vemos que foi em parte a causa da morte do rei Saul.

O Novo Testamento contém uma passagem mais iluminadora sobre o assunto, que envolvia uma vidente que ganhava muito dinheiro para seus donos. Ela seguiu os discípulos, gritando: “São servos do Deus Altíssimo estes homens que vos anunciam um caminho de salvação” (Atos 16:17b King James Atualizada). Ela manteve isso por muitos dias até São Paulo ficar tão irritado que ele ordenou que o espírito saísse dela “no nome de Jesus Cristo” (Atos 16:18b). Saiu, e esse foi o fim do negócio dos donos dela.

O que é interessante é que ela realmente disse a verdade. Mas o diabo também sabe quem é Jesus. O problema era que ela não estava servindo a Deus, mas ao diabo. Ela estava escravizada pelo maligno e a liberdade dela trouxe problemas — e cadeia — para Paulo e seu companheiro, Silas, porque uma profissão mentirosa lucrativa baseada numa atividade proibida havia sido parada. As autoridades ficaram do lado dos donos das práticas ocultas, exatamente como muitas vezes acontece hoje. Será que a razão disso é que ao que tudo indica está havendo pouco esforço para impedir os festivais de sexo pervertido que ocorrem na cidade de Kent, apesar dos protestos dos vizinhos? Um desses festivais, na floresta perto de Tunbridge Wells, foi anunciado como uma chance para os hedonistas “cumprirem fantasias num local místico onde encontros de bruxas ocorrem há séculos.”

A promiscuidade sexual e o ocultismo andam de mãos dadas. O ocultismo em todas as suas formas — e isso inclui horóscopos — pode ser agrupado sob o tópico geral de bruxaria. É demoníaco, enganoso e desastroso.

De acordo com o jornal Derby Telegraph, a visita de Diana à médium Rita Rogers na cidade de Lower Pilsley não foi a única, pois ela mantinha contato regular com a médium. Ao que tudo indica, Rita avisou Dodi para evitar a França por medo de um acidente num túnel e havia antes predito Diana se encontrando com um homem com a inicial D na água (elas haviam se encontrado no iate dele).

Então possivelmente havia elementos de verdade que atraíram Diana e seu amante numa armadilha mortal. É nisso que o envolvimento no ocultismo leva, e por que ingleses inocentes precisam se precaver para evitar isso e em vez disso seguir a verdade bela personificada em Jesus, que disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6 King James Atualizada).

Adivinhação escraviza você porque amarra você ao curso ditado por qualquer “revelação” que tenha supostamente sido dada, em vez de lhe dar a liberdade de fazer suas próprias decisões e confiar em Deus para dirigir você em suas “veredas de justiça” (Salmo 23:3).

É claro que não posso dizer com certeza se Diana chegou a ler as passagens que citei ou se ela estava ciente delas. Mas a Bíblia é a Palavra de Deus para nós. Não é só um livro de história. Contém uma vasta amplitude de conselhos e sabedoria sobre como viver nossas vidas. Ignorância no dia em que tivermos de dar contas de nossas vidas não será desculpa (2 Coríntios 5.10).

O cumprimento de muitas profecias antigas, principalmente as profecias com relação à vinda do Messias Jesus bem como o reagrupamento extraordinário mais recente dos judeus em sua terra prometida de todos os cantos do globo é certamente prova suficiente de que dá para se confiar na Bíblia totalmente.

A profecia — a proclamação da vontade, caminhos e propósito de Deus — é uma coisa. Consultar médiuns é bem diferente, uma atividade estritamente proibida pelo Senhor. É sobre buscar conhecimento secreto a fim de se sentir em controle aprofundando-se num futuro que Deus escolheu não revelar. Ele quer que vivamos pela fé — isto é, confiando nele acerca de nossas necessidades diárias. “Sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11:6). Não cabe a nós saber precisamente o que está a frente (veja Deuteronômio 29:29).

Envolvimento com as trevas convidará todos os tipos de problemas a entrar em nossas vidas. Deus quer que vivamos na luz, e Ele nos mostrou o caminho perfeito enviando Jesus, Seu Filho, “a luz do mundo” (João 8:12).

Uma das passagens mais famosas da Bíblia é precedida alguns versículos antes por esta pergunta: “Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram, respondei: Acaso não consultará um povo a seu Deus? Acaso a favor dos vivos consultará os mortos?” (Isaías 8.19). Esse tipo de consulta leva só à angústia, trevas e melancolia medonha (veja Isaías 8:22).

Apesar disso… “O povo que andava em trevas viu uma grande luz… Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu… e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz.” (Isaías 9.1-6)

Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: The Dark Truth About Princess Diana’s Dabbling in the Occult

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada sobre astrologia e ocultismo:

Pode uma professora “evangélica” ensinar alunos a fazer mapa astral sem o consentimento dos pais?

Os Fatos Sobre a Astrologia

José, Maria e Jesus. Deus não facilitou para José. Mas Ele lhe deu sonhos que salvaram seu casamento

O Astrólogo Nunca Erra!

Adivinhos e cartomantes? Uma estupidez, disse o Papa ao recordar história

Olavo de Carvalho, astrologia e antipetismo

Direita embruxada ou embruxadora? Mestra do Reiki é a nova estrela da Direita brasileira

Marco Feliciano está embruxado? Feliciano recomenda… Paulo Coelho e Olavo de Carvalho

O mínimo que você precisa saber para não ser um “evanjegue”

Anúncios

Não aprecio monitoração esquerdista

Julio Severo

A entidade esquerdista americana Observatório da Direita (Right Wing Watch) disse ontem: “Parece que Julio Severo não aprecia nossa cobertura das coisas que ele escreve.”

Não, não aprecio monitoração esquerdista. Escrevendo no portal evangélico conservador americano BarbWire (onde também sou um colunista), Rob Pue do portal Wisconsin Christian News disse que é a “meta declarada” do Observatório da Direita “perseguir e espalhar informações falsas acerca de… organizações cristãs pró-família.”

Em menos de uma semana, esta é a terceira vez que o Observatório da Direita mirou sua “cobertura” (monitoração) nos meus artigos cristãos. Veja mais informações aqui: Monitoração da esquerda versus monitoração de oração http://bit.ly/2f7V1LY

Versão em inglês deste artigo: I Do Not Appreciate Left-Wing Surveillance

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Como ajudar Julio Severo por meio da conta de PayPal do Instituto Judaico de Consciência Global dos EUA

Julio Severo busca mover os cristãos a orações diárias com “Prophetic Prayers” (Orações Proféticas)

Leitura recomendada sobre a Esquerda dos EUA contra Julio Severo:

Monitoração da esquerda versus monitoração de oração

Socialista obstinado critica Julio Severo por não culpar o aquecimento global pelo Furacão Harvey

Observatório da Direita, da entidade esquerdista americana People for the American Way, contra Julio Severo

Ateísta Ed Brayton: Julio Severo é um ‘doido’ brasileiro

Facebook reconhece sua própria censura contra Julio Severo. E agora?

Entendendo a extrema Esquerda: doidos esquerdistas chamam conservadores do que eles são

Entendendo a extrema esquerda e seu ataque contra o Breitbart e o BarbWire: a perversão gay, encoberta e pública

Marcos Botelho no Dois Dedos de Teologia: Um arrependimento sem arrependimento diante da questão do “casamento” gay

Julio Severo

Em participação recente do programa Dois Dedos de Teologia, Marcos Botelho, respondendo a Yago Martins sobre o que mais lhe causava arrependimento no ministério pastoral virtual, confessou: foi um artigo dele publicado na revista Ultimato em 2011, embora erroneamente ele dissesse 2010.

Imagem de apresentação do programa Dois Dedos de Teologia. Marcos Botelho está no canto à direita, de óculos.

Ele reconheceu que estava iniciando como colunista no portal da revista Ultimato. De cara ele publicou um artigo defendendo o “casamento” gay. No Dois Dedos de Teologia, ele explicou que o artigo apenas defendia a “união estável homoafetiva.”

Botelho, que é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) e ligado ao grupo Jovens da Verdade, disse:

“Esse texto não era a minha visão pastoral porque a prática homoafetiva não é bíblica, mas como minha opinião do Estado laico. Eu achava que os direitos deveriam ser garantidos, em qualquer Estado laico, de duas pessoas que estão juntas, não importa a orientação sexual. O problema é que um senhor chamado Julio Severo pegou esse texto… e isso deu um estrago… tive de fazer reunião com os líderes da Ultimato…”

Ele acabou dizendo muito mais, especialmente desabafando queixas contra mim. Para ver tudo o que ele disse no Dois Dedos de Teologia, acesse este vídeo: https://youtu.be/bUok6vHUpwI

O que ele afirmou que “causou estrago” e gerou uma “reunião com os líderes da Ultimato” foi uma denúncia intitulada “Luta cristã pelo ‘direito’ de praticar abominações?” que escrevi em 2013. Na denúncia, citei algumas das próprias declarações de Botelho, inclusive a seguinte:

“Hoje, vendo a luta do movimento LGBTT, lendo a PL 122 e pensando no nosso compromisso cristão por uma sociedade para todos com as leis laicas, penso que o direito ao casamento (união estável), a herança e outros direitos civis dos homossexuais deveriam ser garantidos por lei e defendidos por nós protestantes, pois se sofremos um preconceito no passado por leis baseadas na fé dos ‘outros’ que iam contra os nossos direitos, por que agora que temos voz garantida não vamos lutar pelos outros?… Nós evangélicos deveríamos ser a voz em defesa (dos direitos legais) dos homossexuais…”

Botelho disse no Dois Dedos de Teologia que ele defende a “união estável homoafetiva.”  No final das contas, qual é a diferença? A “união estável homoafetiva” resulta no mesmo problema do “casamento” gay, já que a Constituição brasileira diz que é dever do Estado transformar as uniões estáveis em casamento. Dê aos militantes homossexuais a “união estável,” e o Estado estará sob a obrigação constitucional de converter essa abominação em “casamento.”

Se até mesmo nos Estados Unidos, país de maioria evangélica, o “casamento” gay foi aprovado em 2015 sem que a legislação americana possuísse uma cláusula exigindo a transformação de uniões estáveis em casamento, o que dizer do Brasil, onde essa cláusula existe?

O que dizer também do silêncio da blogosfera calvinista diante da postura liberal de Botelho? O artigo dele permaneceu intacto no portal da revista Ultimato durante quase dois anos meio — de maio de 2011 a outubro de 2013. Durante todo esse tempo, nenhum teólogo calvinista se manifestou contra a postura liberal de Botelho.

A Ultimato, que é uma revista de orientação presbiteriana, jamais deveria ter publicado tal texto, que só foi removido após minha denúncia e a pressão dos meus leitores. Fiz a denúncia depois que leitores atentos se comunicaram comigo mostrando o artigo de Botelho na Ultimato.

E como não denunciar? Até mesmo hoje, a postura liberal de Botelho continua intacta, conforme ele confessou no Dois Dedos de Teologia. Ele disse: “Esse texto não era a minha visão pastoral porque a prática homoafetiva não é bíblica.” Se não era a visão dele, por que ele a defendeu?

E por que usar a terminologia “prática homoafetiva”? “Homoafetividade” é o termo que os militantes homossexuais utilizam para acobertar e adocicar suas práticas sexuais imundas e abomináveis. Por que um pastor presbiteriano usaria tal termo?

Homoafetividade não tem nada a ver com relações sexuais, conforme me apontou o Pr. Eguinaldo Hélio de Souza, do Vale da Bênção. A palavra “homoafetivo”, embora seja uma expressão criada modernamente, não tem ligação com o ato sexual dos homossexuais. Tem ligação parcial com a língua grega, onde a palavra grega “homos” significa “igual”. Junte “homos” com afetivo, e temos “homoafetivo”, que literalmente significa “afeição” ou “afeto” pelo igual.

Nesse sentido literal, todo pai que tem afeição pelo filho é “homoafetivo”. Toda mãe que tem afeição pela filha é “homoafetiva”. Daí, sou homoafetivo porque tenho afeição e afeto pelos meus filhos do sexo masculino, que são meus iguais, pois são do mesmo sexo que eu.

Mesmo que você não seja casado, provavelmente você também tem afeição e afeto por amigos que têm o mesmo sexo que o seu. Daí, você também é homoafetivo!

“Homoafetividade” nada tem a ver com o órgão sexual masculino enfiado no orifício de outro homem. Homoafetividade, ou afeição entre iguais, é a relação saudável de afeição entre pais e filhos e mães e filhas, e também a afeição e afetividade entre um homem e seus amigos do sexo masculino, e a afeição e afetividade entre uma mulher e suas amigas do sexo feminino.

Homoafetividade leva a profundas amizades. Na Bíblia, vemos homoafetividade entre Davi e Jonatas, entre Jesus e seus apóstolos, etc.

O que leva ao homossexualismo não é a homoafetividade, mas o pecado. Você pode ler mais sobre esse assunto acessando este artigo: “Sou homoafetivo.”

No Dois Dedos de Teologia, Botelho se queixou de que minha denúncia na verdade o usou para bater na Ultimato. Ele esperava o quê? Se uma grande revista evangélica publica um artigo a favor do “casamento” gay, ela se compromete por inteiro e deve arcar com as consequências.

Se meu blog publicar um artigo defendendo o “casamento” gay (ou, como diz hoje Botelho, “união estável homoafetiva”), eu terei de arcar com as consequências.

Mas, com a exceção absoluta da denúncia do meu blog, Botelho não enfrentou nenhuma consequência no universo presbiteriano. Nem mesmo o Dois Dedos de Teologia, que é de orientação calvinista, puxou-lhe a orelha. Nem mesmo Augustus Nicodemus (que é apresentado de forma proeminente na foto de apresentação do Dois Dedos de Teologia e é uma figura proeminente na Igreja Presbiteriana do Brasil e todas as suas instituições) nunca escreveu um artigo e nunca produziu um vídeo para repreender Botelho, que é seu colega de ministério na IPB.

Pelo visto, presbiterianos e calvinistas não gostam de apontar e denunciar o liberalismo teológico de seus próprios colegas pastores.

No Dois Dedos de Teologia, Botelho se queixou “desse senhor” (Julio Severo) e aproveitou também para se queixar da Bancada Evangélica. Ele disse:

“Depois de três e quatro anos como fica o texto no blog desse senhor as pessoas veem e voltam e a polarização não estava assim nem a Bancada LGBT era tão forte e tão maldosa como é a dos evangélicos — a Bancada Evangélica. Então eu estava no meio de uma guerra e as pessoas usavam o meu texto, que nem está mais no meu blog, porque eu tirei depois que as pessoas começaram a atacar meu pai…”

Botelho acusa a Bancada Evangélica de ser mais maldosa do que a bancada homossexualista. Por que tal queixa? Enquanto a Bancada Evangélica, sob pressão, combatia o que Botelho chama inocentemente de “união estável homoafetiva,” a bancada homossexualista a defendia. Claro, para Botelho o lado maldoso era o que estava contra essa “doce” união.

Para Botelho, para deixar de ser maldosa a Bancada Evangélica deveria lutar para garantir supostos direitos homossexuais.

O pai de Botelho é o fundador do grupo Jovens da Verdade. Ele foi pressionado e questionado, por antigos membros do Jovens da Verdade, acerca da postura liberal do filho. Essa pressão e questionamento Botelho chama de “ataques.”

No Dois Dedos de Teologia, ele declarou que ainda hoje as pessoas o atacam por causa desse texto. Não são “ataques” vindo dos apologetas calvinistas. E não são “ataques” contra um pastor presbiteriano sinceramente arrependido por ter publicamente defendido uma postura liberal, pois, como deixou claro Botelho no final do programa: “Isso era uma opinião minha, pessoal, que eu acho que eu não deveria ter colocado. Não que eu discorde disso, mas é porque às vezes cria coisas que não deveriam, não encurtam o caminho.”

Depois de mais de 5 anos da publicação de sua postura liberal (que ele chamou de opinião pessoal), Botelho mostra um arrependimento sem arrependimento. Ele lamenta ter publicado, mas deixa claro que ele não discorda da postural liberal promovida no espaço do portal da revista Ultimato.

A postural liberal dele deveria exigir uma rigorosa disciplina pastoral da denominação dele, a Igreja Presbiteriana do Brasil. O liberalismo teológico jamais deve ser tolerado. Então, por que em todos esses anos, Botelho não recebeu de sua denominação a desintoxicação bíblica de que ele tanto necessita?

Apesar da omissão e silêncio dos grandes e pequenos sites e blogs apologéticos calvinistas, a postura liberal de Botelho sofreu um estrago, conforme ele mesmo reconheceu, devido à denúncia do meu blog. A denúncia mobilizou evangélicos de todo o Brasil a fazerem pressão na revista Ultimato, resultando na remoção do artigo liberal de Botelho.

A denúncia mobilizou também antigos membros do Jovens da Verdade, especialmente o Pr. Alberto Thieme, contra o liberalismo teológico de Botelho.

Sem denúncia, não há pressão e mobilização.

Sem denúncia biblicamente competente, não há estragos no liberalismo teológico.

Sob pressão, a revista Ultimato, gostando ou não, removeu o texto liberal de Botelho. Só falta agora a IPB, inclusive Nicodemus, adotar alguma ação contra o liberalismo teológico dele.

Botelho é um dos diretores da organização Jovens da Verdade, que é dona da FLAM, Faculdade Latino-americana de Teologia Integral. O diretor da FLAM é o apóstolo da TMI (Teologia da Missão Integral) no Brasil, Ariovaldo Ramos. Com a participação de Botelho, o Jovens da Verdade patrocina eventos da TMI para jovens.

Botelho foi um dos principais preletores de um grande evento de TMI na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2013.

O problema de Botelho parece ser o ambiente repleto de TMI no Jovens da Verdade e na FLAM. Como ele é filho do fundador do Jovens da Verdade, a vida dele está repleta de TMI.

Coincidência ou não, a TMI está ativamente envolvida na defesa da Teologia Gay.

Só a pressão dos evangélicos pode impedir o avanço do liberalismo teológico que defende uma suposta “união estável homoafetiva,” que chama a Bancada Evangélica de “maldosa” e que se queixa de que os artigos de Julio Severo causam estragos.

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Luta cristã pelo “direito” de praticar abominações?

Por que não levar a sério o liberalismo teológico da TMI?

Sou homoafetivo

Rock no Vale e seu Teatro Mágico da mentira socialista

Viadagens teológicas: ambiente da teologia da libertação e TMI produzindo teologia gay no Brasil

Rock in Teologia da Missão Integral camufla pedrada no Evangelho

Esquerdismo no Mackenzie — do jeito que o Genizah gosta!

A maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil

Leitura recomendada sobre “casamento” gay:

“Casamento” homossexual e os últimos dias

“Casamento” gay: Obama mentiu, Rick Warren acreditou

Obama: Jesus é a base do apoio ao “casamento” gay

“Deus decidiu”: Putin afirma que é seu “dever” impedir gays de se casarem de modo que as pessoas tenham mais bebês

“Casamento” homossexual dos EUA afetará outros países

“Casamento” gay e o bullying da mídia

Brian McLaren realiza cerimônia de casamento gay de seu filho

Pastor batista progressista afirma que casaria gays

Monitoração da esquerda versus monitoração de oração

Julio Severo

O Observatório da Direita (Right Wing Watch) está ocupado coletando declarações de conservadores para “expô-las” à sua audiência esquerdista nos Estados Unidos, na esperança de que outros extremistas de esquerda ataquem os conservadores.

De acordo com o WND, um dos maiores sites conservadores do mundo, People for the American Way (PFAW) é “uma organização socialista ateísta que, por meio de publicações como seu ‘Right Wing Watch’ [Observatório da Direita] se dedica à destruição dos conservadores em geral.”

De acordo com seu site, o Observatório da Direita tem uma missão especial de atacar conservadores que se opõem à agenda gay, ao aborto e à ideologia muçulmana.

Por anos, o Observatório da Direita vem monitorando e coletando minhas declarações numa base regular. A frequência de sua monitoração parece estar aumentando. Em 6 de setembro de 2017, o Observatório da Direita coletou e “expôs” meu comentário:

“Julio Severo continua a insistir em que o Furacão Harvey foi castigo de Deus sobre os Estados Unidos por venderem armas à Arábia Saudita.”

O Observatório da Direita espera que, ao expor meu comentário, a extrema-esquerda americana se previna para não ler e acreditar nos meus artigos — e também os critique, como fez recentemente o site americano “Die Hard Democrat” (Socialista Obstinado).

E em 7 de setembro de 2017, o Observatório da Direita disponibilizou a seguinte coleção de declarações conservadoras que estão irritando sua mentalidade esquerdista:

Trump Poderia Ser Jesus e a Mídia Ainda O Odiaria

Escrito por Kyle Mantyla

Robert Jeffress diz que o Presidente Trump é “uma das pessoas mais compassivas com quem já estive.”

David Kubal da entidade Intercessores pelos Estados Unidos diz que Deus está usando furacões para dizer aos americanos que “tudo está arruinado, precisamos de um Salvador, precisamos orar e Deus é misericordioso.”

Scott Lively avisa que a “‘teologia gay’ sempre foi uma isca satânica para atrair pessoas com atração de mesmo sexo para vidas de pecado homossexual ativo. É também um canto de sereia sedutor para ex-gays nos momentos fracos de sua recuperação.”

Julio Severo tem uma oração pelos Estados Unidos: “Oremos para que o pecado homossexual seja visto e sentido na sociedade americana na sua realidade nojenta que é. Oremos profetizando o fracasso da ganância multibilionária da indústria homossexual dos EUA.”

Por último, James Robison diz que Trump “poderia andar sobre as águas, ressuscitar os mortos, curar os cegos, realizar milagre após milagre e ele ainda seria odiado pela mídia esquerdista de hoje.”

Considerando que sua intenção é expor tudo o que escrevo, o Observatório da Direita deveria também avisar sua audiência esquerdista nos EUA que tenho um livro na Amazon sobre oração: “Prophetic Prayers” (Orações Proféticas).

De acordo com a esquerda americana, os evangélicos são a principal força conservadora no Brasil, e eu sou um evangélica brasileiro — na mira da esquerda americana. Os evangélicos têm também sido os principais apoiadores de Trump.

Estou disponibilizando este texto para cristãos conservadores brasileiros e americanos para que eles orem pelos extremistas de esquerda que estão monitorando a mim e outros cristãos conservadores.

A oração pode mudar tudo — até mesmo extremistas de esquerda.

Versão em inglês deste artigo: Left-Wing Surveillance vs. Prayer Surveillance

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Como ajudar Julio Severo por meio da conta de PayPal do Instituto Judaico de Consciência Global dos EUA

Julio Severo busca mover os cristãos a orações diárias com “Prophetic Prayers” (Orações Proféticas)

Leitura recomendada sobre a Esquerda dos EUA contra Julio Severo:

Socialista obstinado critica Julio Severo por não culpar o aquecimento global pelo Furacão Harvey

Observatório da Direita, da entidade esquerdista americana People for the American Way, contra Julio Severo

Ateísta Ed Brayton: Julio Severo é um ‘doido’ brasileiro

Facebook reconhece sua própria censura contra Julio Severo. E agora?

Entendendo a extrema Esquerda: doidos esquerdistas chamam conservadores do que eles são

Entendendo a extrema esquerda e seu ataque contra o Breitbart e o BarbWire: a perversão gay, encoberta e pública

Socialista obstinado critica Julio Severo por não culpar o aquecimento global pelo Furacão Harvey

Julio Severo

Escrevendo num site chamado “Democrata Obstinado” (Die Hard Democrat), o esquerdista americano Jeremy Berg está irritado porque em meu artigo “Juízo sobre Houston e aviso aos Estados Unidos?” não culpei o aquecimento global pelo Furacão Harvey. (Democrata nos EUA se refere a um membro do Partido Democrático, cujas políticas são socialistas.)

Em seu artigo intitulado “Right-Winger Has Odd Explanation For Why Harvey Happened” (Direitista Tem Explicação Esquisita para Porquê Harvey Aconteceu), Berg disse:

“Membros da extrema direita apoiadores de Trump não conseguem enxergar como a mudança climática pode ter desempenhado um papel no Furacão Harvey. Em vez disso, eles estão atribuindo todas as espécies de avisos e mensagens divinas à tempestade. Um escritor direitista acabou de aparecer com uma razão particularmente específica e absurda do porquê ele sente que Deus fez o Harvey acontecer.”

Ele então cita meu nome e mostra minha foto.

No que se refere ao compromisso de Trump com seu discurso de campanha contra os neocons, contra o aborto, sem fazer concessões à agenda homossexual, posso ser rotulado de “apoiador de Trump.” Sempre que ele não for fiel a seu próprio discurso, sou apenas um evangélico fiel a Jesus Cristo. (Evangélicos foram a principal base eleitoral de Trump.)

Não sou um “republicano obstinado,” mas sou um cristão inflexível. (Republicano nos EUA se refere a um membro do Partido Republicano, cujas políticas são às vezes conservadoras.)

Se extremistas de esquerda têm direito de culpar o aquecimento global, ou seu rótulo atual de “mudança climática,” pelo Furacão Harvey, sem serem difamados pela grande imprensa, por que os cristãos não podem oferecer sua visão sobre tempestades destrutivas?

O site “Democrata Obstinado” entende que não haveria problema só se, em vez de um possível juízo divino, eu tivesse usado sua vaca sagrada “mudança climática” como razão.

Por que não pode haver uma interpretação de juízo possível com relação ao Harvey? Em minha opinião, as “coincidências” são demais para se descartar tal possibilidade.

Em sua campanha de 2016, quando Trump foi pioneiro com seus discursos contra os neocons e o islamismo, eu o vi como o único candidato e americano que poderia livrar os EUA de sua prostituição com a Arábia Saudita, que é o principal patrocinador do terrorismo islâmico no mundo inteiro.

Contudo, Trump como presidente não tem sido páreo para seus discursos corajosos de 2016. Em sua primeira viagem internacional, ele escolheu a Arábia Saudita como sua primeira visita.

Ele vendeu 110 bilhões de dólares em equipamento militar para a Arábia Saudita. A Casa Branca afirmou que essa venda representou o “maior acordo de armas da história dos EUA.” Esse foi dinheiro de sangue, pois o terrorismo internacional patrocinado pelos sauditas também massacra cristãos.

Trump se gabou do acordo: “Investimentos tremendos nos Estados Unidos. Centenas de bilhões de dólares de investimentos nos Estados Unidos e empregos, empregos e empregos.” Empregos de sangue.

Separadamente, empresas americanas no setor petrolífero ganharam 22 bilhões de dólares em novos acordos com a empresa estatal saudita de petróleo Aramco.

Entretanto, os lucros de sangue foram para o ralo. Os lucros do acordo militar dos EUA com os sauditas, o qual foi o “maior acordo de armas da história dos EUA,” foram praticamente perdidos por causa do Furacão Harvey, que atingiu duro o Texas no final de agosto de 2017 e foi “o sistema de tempestade mais destrutivo a provocar devastações nos Estados Unidos,” de acordo com Shane Hubbard, pesquisador do Centro de Ciência e Engenharia Espacial da Universidade de Wisconsin.

Harvey foi um dilúvio que ocorre só uma vez a cada 1.000 anos, de acordo com os dados científicos.

Hubbard disse: “Nunca vi nada dessa magnitude ou tamanho. Isso é algo que nunca aconteceu em nossa era moderna de observações.”

Pelo fato de que é considerado um acontecimento que só ocorre a cada 1.000 anos, as chances do Harvey acontecendo em qualquer ano determinado é de 0,1 por cento.

“Ou, um melhor jeito de pensar nisso é que 99,9 por cento do tempo, tal acontecimento nunca ocorrerá,” disse Hubbard.

A devastação do Harvey no Texas atingiu principalmente a indústria petroquímica. Enquanto as fábricas químicas da Costa do Golfo (que inclui Texas e Louisiana) são projetadas para resistir a inundações e ventos de furacões, elas não estavam preparadas para o super-Furacão Harvey.

Numa manchete intitulada “Harvey Transformou a Química Mais Importante do Mundo em Produto Raro,” a revista Bloomberg disse:

“Poucos americanos se importam com o etileno. Muitos provavelmente nunca ouviram falar disso. A verdade é que esse gás sem cor e inflamável é indiscutivelmente a petroquímica mais importante do planeta — e boa parte dele vem da Costa do Golfo atingida pelo furacão. O etileno é uma das grandes razões por que os danos provocados pelo Furacão Harvey nas comunidades químicas ao longo do Golfo do México provavelmente reverberarão em toda a fabricação americana de produtos essenciais desde jarros de leite até colchões. ‘O etileno realmente é a grande petroquímica que impacta a indústria inteira,’ disse Chirag Kothari, analista na empresa de consultoria Nexant.”

As refinarias mais importantes dos EUA estão exatamente onde o Harvey atingiu forte. Port Arthur, no Texas, é considerado a joia da coroa do sistema de refinarias dos EUA. A refinaria de Port Arthur pode processar 600.000 barris de petróleo por dia, tornando-a a maior refinaria da América do Norte. Harvey parou-a.

Sob o governo Trump, os muçulmanos sauditas assumiram 100% de controle da próspera refinaria de Port Arthur em maio. Agora a Arábia Saudita é a dona da maior refinaria de petróleo dos EUA. Port Arthur foi um dos lugares mais atingidos pelo Harvey. Coincidência?

Uma semana atrás, uma manchete da CNBC disse que se os prejuízos de seguro do Harvey alcançarem 150 bilhões de dólares, a economia inteira dos EUA seria prejudicada.

Nesta semana, Greg Abbott, governador do Texas, estimou os prejuízos do Furacão Harvey em 150 bilhões a 180 bilhões de dólares, chamando-o mais caro do que os furacões épicos Katrina ou Sandy e alimentando um debate sobre como pagar pelo desastre.

A economia americana foi prejudicada. Coincidência ou não, foi prejudicada depois que Trump fez um acordo de sangue com os sauditas, ao vender mais de 100 bilhões de dólares em armas para muçulmanos engajados em guerras e matanças contra os cristãos.

É difícil acreditar que foi coincidência. É difícil acreditar que o Harvey foi um resultado de “mudança climática.”

Mesmo assim, o “Democrata Obstinado” e o Observatório da Direita, da entidade esquerdista americana People for the American Way, estão irritados com minha visão cristã. O Observatório da Direita simplesmente adora me atacar regularmente.

No entanto, eles me louvariam totalmente se eu fosse um democrata obstinado e extremista de esquerda, exatamente como eles são, culpando o aquecimento global pelo Harvey.

Graças a Deus, sou um evangélico conservador inflexível que não acredita no conto de fadas do aquecimento global ou mudança climática. Acredito que, ao reforçar o Dia Nacional de Oração pelos Estados Unidos, Trump pode, por arrependimento pessoal e nacional, conduzir os Estados Unidos a enfrentar suas realidades pecaminosas e mudar de curso antes que outros juízos como o super-Furacão Harvey aconteçam.

Os Estados Unidos precisam de independência da Arábia Saudita e de neocons como John McCain. É uma vergonha nacional que a maior refinaria dos EUA seja possuída pelos sauditas, que, com Obama e Hillary Clinton, criaram o ISIS, que tem cometido genocídio contra os cristãos no Oriente Médio. Sem arrependimento e independência, mais “juízos” (que os extremistas de esquerda chamam de “efeitos do aquecimento global”) virão.

Com informações do “Die Hard Democrat,” Bloomberg, DailyMail, Reuters, WND e CNN.

Versão em inglês deste artigo: “Die Hard Democrat” Criticizes Julio Severo for Not Blaming Hurricane Harvey on Global Warming

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Dia Nacional de Oração pelos Estados Unidos

Juízo sobre Houston e aviso aos Estados Unidos?

Dinheiro de sangue: Arábia Saudita conquista Trump

Coincidência ou aviso? Destroier USS John S. McCain danificado em colisão no mesmo dia do eclipse solar

Para envolvimento:

Como ajudar Julio Severo por meio da conta de PayPal do Instituto Judaico de Consciência Global dos EUA

Julio Severo busca mover os cristãos a orações diárias com “Prophetic Prayers” (Orações Proféticas)

Leitura recomendada sobre a Esquerda dos EUA contra Julio Severo:

Observatório da Direita, da entidade esquerdista americana People for the American Way, contra Julio Severo

Ateísta Ed Brayton: Julio Severo é um ‘doido’ brasileiro

Facebook reconhece sua própria censura contra Julio Severo. E agora?

Entendendo a extrema Esquerda: doidos esquerdistas chamam conservadores do que eles são

Entendendo a extrema esquerda e seu ataque contra o Breitbart e o BarbWire: a perversão gay, encoberta e pública

Benjamin Netanyahu, judeus direitistas e a agenda gay em Israel

Julio Severo

Jerusalém, a Cidade Santa, tem sido palco de um dos atos mais profanos da Terra de acordo com as tradições judaicas mais sagradas: a celebração da homossexualidade.

Parada gay em Jerusalém

Não só judeus esquerdistas têm celebrado esse ato profano. Judeus direitistas têm também participado.

O Knesset, o Parlamento de Israel, oficialmente designou 23 de fevereiro de 2016 como o Dia de Direitos LGBT do Estado de Israel. O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu raramente aparece no Knesset nas terças-feiras, mas ele chegou especialmente para participar do “primeiro Dia de Direitos LGBT.”

Ele falou com ativistas homossexuais que estavam reunidos no Knesset.

“Vim aqui no meio de minha agenda, que está como sempre lotada, para dizer uma sentença aos membros da comunidade LGBT: ‘Todo homem foi criado conforme a imagem de Deus,’” ele disse, de acordo com o jornal Jerusalem Post. “Essa é a ideia que nossa nação trouxe à humanidade milhares de anos atrás, e é o princípio que tem de guiar nossas vidas nacionais hoje.”

Todos foram criados conforme a imagem de Deus, mas a conduta deles nem sempre reflete a imagem de Deus.

O princípio antigo, gravado nas Santas Escrituras Judaicas (conhecidas como Antigo Testamento entre os cristãos), é que as pessoas criadas conforme a imagem de Deus não deveriam se engajar em condutas contrárias à imagem de Deus. Entre essas condutas está a homossexualidade, que as Escrituras Judaicas chamam de “repugnantes.”

“Não se deite com um homem como se deita com uma mulher; é repugnante.” (Levítico 18:22 Bíblia de Estudo Judaica. Editora da Universidade de Oxford. 2014)

Usar a “imagem de Deus” nas pessoas para glorificar sua conduta homossexual não foi a intenção original de Deus para Israel e o mundo. A homossexualidade afronta a imagem de Deus.

Reforçando as palavras de Netanyahu louvando pessoas por sua conduta homossexual, o Ministério das Relações Exteriores dele disse num vídeo internacional público que tem orgulho de que Israel seja a capital homossexual do Oriente Médio.

O parlamentar Amir Ohana disse no Knesset que a comunidade LGBT é 10 por cento da população de Israel e é discriminada sob a lei.

Em 2015 Netanyahu comentou que Ohana, que foi o novo ministro do Interior de Israel, era o primeiro representante assumidamente gay a ser eleito para o Knesset do Partido Likud, de Netanyahu. O Likud é um partido direitista. Ele predisse que Ohana seria um excelente parlamentar.

Em seu discurso de posse, Ohana, que vive com seu parceiro homossexual, mencionou os componentes diferentes de sua identidade: “Judeu, israelense, mizrahi [sefardim], focado em segurança, liberal, apoiador do livre mercado e pai.”

Ohana, que é também veterano da agência de segurança Shin Bet, tem promovido a agenda homossexual como o fundador e presidente do Grupo de Orgulho Likud, que é a maior organização homossexual direitista em Israel.

Ohad Attya, um ativista gay no Likud, disse: “A ideia de que se você é gay você tem de ser esquerdista é falsa.”

A estatística absurda de 10 por cento de homossexuais na população geral defendida por Ohana foi inventada por Alfred Kinsey, mas foi cientificamente desmascarada pela pesquisadora judia-americana Dra. Judith Reisman.

Homossexuais não são mais que 2 ou 3 por cento da população geral. Se esse número subir algum dia, é porque a propaganda homossexual em massa na mídia social e escolas foi bem-sucedida. Mas sem propaganda, seus números são insignificantes.

Contudo, não é a Torá, as Escrituras Judaicas, suficiente para desmascarar mentiras sobre a homossexualidade? Aliás, a Torá vem expondo e condenando a homossexualidade por milhares de anos.

Mesmo assim, o Israel moderno está em direção contrária às suas tradições mais sagradas.

Mais de 200.000 pessoas encheram as ruas de Tel Aviv, a capital de Israel, em 2017 para a Parada do Orgulho LGBT anual, tornando-a a maior parada homossexual já ocorrida no Oriente Médio e Ásia, de acordo com a prefeitura de Tel Aviv-Jaffa.

“A Parada do Orgulho de Tel Aviv não é apenas uma celebração, mas também uma declaração importante de apoio. Tel Aviv, que já foi reconhecida como a ‘cidade mais amiga dos gays’ do mundo, continuará a ser uma cidade farol, espalhando os valores da liberdade, tolerância e democracia ao mundo,” disse o prefeito Ron Huldai.

Parada gay em Jerusalém

Até mesmo Jerusalém não tem escapado ilesa de avanços homossexuais. Em 2016 e 2017 mais de 45 mil israelenses homossexuais encheram as ruas da Cidade Santa com bandeiras do arco-íris, marchando de modo orgulhoso e resoluto pelo que foi considerado a “Marcha de Jerusalém em prol do Orgulho e Tolerância.”

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu se dirigiu aos ativistas e participantes homossexuais na parada do orgulho gay de Jerusalém em 2016 numa mensagem de vídeo, dizendo que eles são uma parte inseparável da sociedade israelense.

“A marcha de hoje em Jerusalém não é só uma marcha da comunidade LGBT,” disse Netanyahu no vídeo postado em sua página de Facebook. “Não é uma marcha exclusiva para um grupo específico. É uma marcha para nós. É uma marcha de unidade. Nossos irmãos e irmãs na comunidade são parte de nós, da sociedade israelense. Somos todos uma só família. Respeitamos uns aos outros e aceitamos uns aos outros com respeito e igualdade. Todos temos o direito e a obrigação de aceitar uns aos outros sem exceções, independente de religião, raça ou preferência sexual. Fomos todos criados conforme a imagem de Deus. Somos todos israelenses, somos todos cidadãos do estado, somos um só povo.”

Em duas versões de um vídeo postado no Facebook, uma em inglês e a outra em hebraico, Netanyahu claramente se posicionou como um apoiador explícito, endossando o sentimento dos participantes da parada e criticando severamente os críticos que pintavam os esforços dos ativistas gays como negativos.

“Lamentavelmente, alguns elementos de nossa sociedade ainda não estão prontos para aceitar a comunidade LGBT,” ele disse. “Minha promessa solene para vocês hoje é continuar promovendo respeito por todos os cidadãos de Israel, sem exceção.”

Os discursos públicos de Netanyahu sobre esse assunto são fascinantes porque ele é o líder do governo de coalizão mais direitista da história de Israel.

Um governo direitista em Israel não só não salvou Israel da ideologia gay, mas tem realmente se juntado à Esquerda para apoiá-la.

Um dos melhores barômetros da influência crescente dos ativistas homossexuais é que os políticos direitistas estão mudando sua percepção da agenda gay. Nos Estados Unidos, líderes do Partido Republicano estão tentando convencer sua base de eleitores conservadores cristãos de que é necessário um realinhamento pró-homossexualismo.

No hoje infame “relatório de autópsia” do Comitê Nacional do Partido Republicano, compilado pelos líderes veteranos do partido depois da perda de Mitt Romney em 2012, eles disseram: “Precisamos fazer campanhas entre… americanos gays e demonstrar que nos importamos também com eles.” O senador Marco Rubio, que é um neocon católico, avisou seu Partido Republicano dos custos da não adesão à agenda gay.

Seguindo essa postura neocon, o governo de Trump tem sido marcado não só por não fazer oposição sistemática à agenda homossexual, mas também por esforços de pressionar outras nações a aceitá-la.

Em outros termos, o ativismo LGBT e suas exigências se tornaram importantes demais e financeiramente sedutoras demais para políticos direitistas ignorarem.

Israel, como nenhuma outra nação, sabe que a conduta homossexual traz destruição total, pois tem o testemunho valioso das Escrituras Judaicas, que não são lenda, mas um lembrete fiel e divino. Mesmo assim, Israel e seus líderes esquerdistas e direitistas buscam alianças com ativistas homossexuais para celebrar seus estilos de vida imorais.

A economia israelense ganhou pelo menos 100 milhões de shekels (em torno de 28 milhões de dólares) com o influxo de homossexuais estrangeiros que viajaram a Israel para participar da Parada do Orgulho de Tel Aviv em 2017.

Nadav Peretz — dono a agência de turismo OUTstanding Travel — disse que esses turistas homossexuais “se tornam embaixadores do Israel esquerdistas e progressista.”

“Pode parecer estranho,” ele disse, “mas eles são os ‘novos evangélicos.’ Eles falam bem de Israel e mal podem esperar para voltar.”

Ativistas homossexuais têm sido oficialmente convidados, por Israel, para visitar Israel. Em janeiro de 2016, o deputado federal Jean Wyllys, o ativista homossexual mais proeminente do Congresso Nacional no Brasil, deu uma palestra sobre “homofobia” na Univesidade Hebraica em Jerusalém. Sua palestra igualou “homofobia” com antissemitismo. Wyllys, que defende abertamente a doutrinação homossexual de crianças brasileiras nas escolas, foi oficialmente convidado por Israel.

Enquanto isso, uma pesquisa israelense de opinião pública publicada pela ONG Hiddush revelou que 90 por cento dos israelenses seculares apoiam o “casamento” de mesmo sexo. Entre os religiosos, 77 por cento dos judeus tradicionais, 46 por cento dos judeus religiosos nacionais e 16 por cento dos judeus ultra-ortodoxos também apoiam o “casamento” de duplas de mesmo sexo.

Durante a reunião no Knesset na primeira data oficial de Dia dos Direitos LGBT, Rachel Tevet, assessora sobre assuntos femininos do Chefe do Estado Maior da FDI (Forças de Defesa de Israel), apontou que jovens de 18 anos são alistados no serviço militar independente da orientação sexual.

Yoav Kisch, membro do Likud e presidente do subcomitê de Relações Exteriores e Defesa no Knesset, pediu à FDI que realizasse mais seminários homossexuais sobre o assunto para os comandantes e que melhorasse seu trabalho para integrar soldados transgêneros.

“Fiquei feliz de ouvir que as condições nas forças armadas são boas [para membros da comunidade LGBT], como deveria ser,” Kisch disse. “Ao mesmo tempo… as melhorias devem continuar.”

“A FDI é o exército do povo e todos devem se sentir à vontade e certamente não devem ter preocupações baseadas em sua identidade de gênero,” ele acrescentou.

A FDI é, alias, um “paraíso” socialista. Realizou uma façanha que os socialistas americanos lutam há muitos anos para impor nas mulheres americanas: o alistamento militar compulsório para moças. O “sonho” socialista se cumpriu em Israel: todas as moças de 18 anos são obrigadas a se alistar.

Se Cuba e a Coreia do Norte têm soldados do sexo feminino, conservadores e direitistas dizem que é feio, pois isso é comunismo. Mas se Israel tem soldadas, eles consideram isso belo, só porque foi feito em Israel — independente se é socialista ou não. Há uma idolatria desenfreada entre evangélicos conservadores que impede seus olhos de ver o socialismo em Israel. Eles conseguem vê-lo em Cuba, mas não conseguem reconhecer como socialista as mesmas imposições em Israel.

Israel é a única nação onde o socialismo tem sido bem-sucedido. Israel, que foi fundado por judeus marxistas, tem uma das leis de aborto mais liberais do mundo. Baniu também a autoridade dos pais de aplicar disciplina física em seus filhos.

Pelo fato de que Israel tem impostos elevados, que são típicos em nações socialistas, a corrupção em Israel é desenfreada.

Mesmo assim, os mesmos evangélicos conservadores que condenam o socialismo em Cuba o celebram em Israel.

Um cristão conservador deveria equilibrar seu apoio necessário a Israel, principalmente seu direito inalienável, intransferível e divino à Terra Prometida, sem comprometer seus valores apoiando tudo o que Israel faz. Às vezes, Israel faz coisas horríveis, inclusive apoiando terroristas islâmicos à custa de vítimas cristãs. Um cristão verdadeiro jamais deveria apoiar tais coisas.

Aborto legal, leis proibindo disciplina infantil, celebração da homossexualidade e feminismo, inclusive alistamento compulsório de moças, não são valores conservadores ou cristãos. Eles são socialistas, e não devem ser tolerados, mesmo por amor a Israel.

Evangélicos falam sobre Israel como se estivessem falando sobre a própria Terra Santa. Eles acham que os governantes de Israel e seus habitantes têm o respeito máximo por Deus e suas leis.

Eles acham que os governantes de Israel e seus habitantes praticam e celebram a família, não o aborto e a homossexualidade.

Eles acham que os governantes de Israel e seus habitantes praticam e celebram a Bíblia, não o socialismo e o feminismo.

Eles acham que os governantes de Israel e seus habitantes têm íntima comunhão com Deus e que eles são salvos, que eles são irmãos e irmãs para os cristãos, não tendo nenhuma necessidade de ouvir o Evangelho de Jesus Cristo.

Não. Eles não têm nenhuma comunhão tal e Israel não está vivendo de acordo com as leis de Deus.

Sim. Israelenses e judeus esquerdistas, direitistas e religiosos precisam realmente ouvir o Evangelho de Jesus Cristo.

O Israel moderno atrai turistas, quer evangélicos ou ativistas homossexuais, só por amor a lucros.

E os israelenses direitistas, inclusive Netanyahu, estão atraindo ativistas homossexuais do mesmo jeito que eles sempre atraíram os turistas evangélicos.

É claro que eles não adotam a ideologia gay do mesmo modo radical que os israelenses esquerdistas fazem. Mas sua adoção “moderada” da sodomia (o pecado de Sodoma: a homossexualidade) está longe dos mandamentos de Deus aos judeus.

“Não se deite com um homem como se deita com uma mulher; é repugnante.”

A sodomia traz morte, conforme as Escrituras Judaicas avisam. É uma repugnância que judeus esquerdistas e direitistas vêm celebrando esse pecado mortal em Jerusalém, em Tel Avive e em toda a Terra Prometida.

A sodomia destruiu Sodoma. Se Israel e seus políticos esquerdistas e direitistas continuarem celebrando a sodomia, o que Israel ganhará com isso?

Com informações do Jerusalem Post, Algemeiner, Washington Blade, The Advocate, Huffington Post, CSMonitor, Breitbart e Haaretz.

Versão em inglês deste artigo: Benjamin Netanyahu, Right-Wing Jews and the Gay Agenda in Israel

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Liberdade cristã nos EUA, Rússia, Israel e Brasil

Jean Wyllys é criticado por viagem a Israel

O Holocausto e as críticas mal direcionadas de um judeu brasileiro contra conservadores na Europa e América

Questões judaicas: um esclarecimento aos cristãos sobre sua percepção dos judeus

Por que Israel está salvando terroristas islâmicos

Deus é bom para Israel: Como a Providência impediu Franklin Roosevelt de impedir o nascimento do moderno Estado de Israel

Dia Nacional de Oração pelos Estados Unidos

Julio Severo

Dia Nacional de Oração nos Estados Unidos, por proclamação do Presidente Donald Trump, tornando domingo, dia 3 de setembro de 2017, um dia para orar pelo Texas e pelos EUA.

Necessidades prioritárias de oração:

Os Estados Unidos assassinam, por ano, 1 milhão e meio de bebês em suas clínicas de aborto, que é legalmente permitido desde a concepção até a hora do parto. No satanismo, o sacrifício de sangue dos inocentes é a primeira regra para liberar o poder de Satanás. Esse sacrifício tem sido feito, num verdadeiro holocausto, nos EUA desde que o aborto foi legalizado em 1973. Oremos para que esse holocausto acabe e as autoridades americanas se envergonhem de tanto sangue inocente derramado em solo americano. Oremos profetizando o fracasso da ganância da indústria abortista multibilionária dos EUA. Oremos para que os abortistas americanos tenham um encontro de poder com Jesus, se convertam e sejam salvos.

Os Estados Unidos têm sido campeões absolutos no exemplo, exportação e imposição da agenda homossexual no mundo inteiro. É a mesma “cultura” que destruiu Sodoma. Oremos para que o pecado homossexual seja visto e sentido na sociedade americana na sua realidade nojenta que é. Oremos profetizando o fracasso da ganância multibilionária da indústria homossexual dos EUA. Oremos para que os homossexualistas americanos tenham um encontro de poder com Jesus, se convertam e sejam salvos.

Os Estados Unidos têm uma indústria militar (o famoso complexo industrial militar americano) que precisa continuamente vender armas e provocar guerras desnecessárias para sustentar empregos e um comércio bélico que gera trilhões de dólares para a economia dos EUA. Quatro meses atrás, em sua primeira viagem à Arábia Saudita, que é a capital mundial do islamismo, Trump vendeu mais de 100 bilhões de dólares em armas. A Arábia Saudita é o principal patrocinador do terrorismo islâmico mundial e principal negociante de petróleo. Numa virada tragicômica, o Furacão Harvey causou um prejuízo por baixo de 100 bilhões de dólares, atingindo em cheio a indústria petroquímica dos EUA e zerando o lucro que o governo americano teve com a venda de armas aos muçulmanos sauditas. Oremos profetizando o fracasso da ganância belicista da indústria bélica trilionária americana. Oremos para que a industrial militar americana seja limitada ao propósito essencial de proteger as fronteiras dos EUA, não para gerar derramamento de sangue em outros países com guerras desnecessárias. Oremos para que os neocons e belicistas americanos tenham um encontro de poder com Jesus, se convertam e sejam salvos.

Os Estados Unidos são o país mais maçom do mundo. A maçonaria é a religião das elites globalistas. É satanismo. Desde a fundação dos EUA no século XVIII, maçons americanos poderosos “profetizam” os EUA liderando a Nova Ordem Mundial, e isso já está acontecendo. Oremos profetizando a extinção da maçonaria e seus projetos malignos nos EUA. Oremos para que os maçons americanos tenham um encontro de poder com Jesus, se convertam e sejam salvos.

Os Estados Unidos estão sofrendo a islamização de suas grandes cidades. Houston, que foi a principal cidade texana a ser atingida pelo Furacão Harvey, tem só quase 2 milhões de habitantes, mas 40 mesquitas. (Só para comparação, Brasília, que é maior do que Houston e tem 3 milhões de habitantes, tem só 1 mesquita, construída pela ditadura islâmica da Arábia Saudita.) Houston reflete o estado espiritual deplorável de outras cidades americanas, que estão igualmente se enchendo de mesquitas. Oremos profetizando a extinção do islamismo nos EUA. Oremos para que os muçulmanos americanos tenham um encontro de poder com Jesus, se convertam e sejam salvos.

Os Estados Unidos têm a maior comunidade judaica do mundo. Mas a vasta maioria desses judeus são esquerdistas. Oremos para que os judeus americanos tenham um encontro de poder com Jesus, se convertam e sejam salvos.

Os Estados Unidos têm uma grande comunidade católica, que é teoricamente pró-vida e pró-família, mas na prática sempre vota majoritariamente por candidatos socialistas assistencialistas pró-aborto e antifamília. Embora na teoria acreditem em Jesus, na prática sempre rezam para Maria, que não tem capacidade nem poder para interceder nem mediar por ninguém. Oremos para que os católicos americanos tenham um encontro de poder com Jesus, conheçam Jesus como único intercessor e mediador, se convertam e sejam salvos.

Os Estados Unidos foram fundados por uma população 98 por cento evangélica e continuam hoje ainda a maior nação evangélica do mundo. Mas o protestantismo americano atual está em grande parte decadente. Embalados pelo liberalismo teológico, protestantes tradicionais americanos (presbiterianos, luteranos, metodistas, etc.) apoiam o aborto e o homossexualismo e não apoiam Israel. Eles não conhecem Jesus. Oremos para que os evangélicos americanos tenham um encontro de poder com Jesus, se convertam e sejam salvos.

Os Estados Unidos precisam urgentemente de um grande arrependimento e reavivamento contra seu amasiamento com o aborto, com o homossexualismo, com o complexo industrial militar, com a maçonaria e com islamismo.

Oremos para que os Estados Unidos experimentem um poderoso derramamento do Espírito Santo, que é quem traz a convicção do pecado, gera a conversão e mudança de vida e dirige a vida cristã de pessoas, famílias e nações.

Os Estados Unidos precisam de Jesus Cristo como nunca antes.

Versão em inglês deste artigo: National Day of Prayer for the United States

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Julio Severo busca mover os cristãos a orações diárias com “Prophetic Prayers” (Orações Proféticas)

“Deus é o nosso refúgio e força”: Presidente Trump declara domingo “Dia Nacional de Oração”