Chocante evidência de que Hitler escapou da Alemanha

Chocante evidência de que Hitler escapou da Alemanha

Informações de arquivos secretos do FBI e dos serviços de inteligência dos EUA, finalmente revelados ao público, levantam questões surpreendentes

WASHINGTON — Todo mundo sabe que Adolf Hitler cometeu suicídio com um tiro em seu abrigo subterrâneo em 30 de abril de 1945.
Pelo menos, essa tem sido a opinião geralmente aceita.
Adolf Hitler e Eva Braun

Agora, chega o recente livro “Hunting Hitler: New Scientific Evidence That Hitler Escaped Germany” (Caçando Hitler: Nova Evidência Científica de que Hitler Escapou da Alemanha), escrito pelo jornalista veterano do WND Jerome R. Corsi.

Examinando arquivos que até pouco tempo atrás eram mantidos em segredo pelo FBI e pelos serviços de inteligência das forças armadas dos EUA, Corsi argumenta de forma convincente que os investigadores dos EUA suspeitavam desde o início que Hitler havia escapado. Por razões políticas, indica a evidência, eles estavam dispostos a aceitar a mentira de que nos dias finais da 2ª Guerra Mundial, Hitler se casou com sua amante, Eva Braun, e os dois tiraram a vida num ritual de suicídio conjunto logo antes que o exército soviético entrasse em Berlim.
Mas a verdade é, ninguém realmente viu Hitler cometer suicídio. Não existem fotografias documentando um suicídio conjunto de Hitler e Eva Braun, e os corpos dos dois nunca foram recuperados ou preservados para identificação positiva.

Em 2009, Corsi mostrou, Nicholas Bellatoni, o arqueólogo do estado de Connecticut, recebeu permissão do Arquivo do Estado da Federação Russa em Moscou para examinar os fragmentos de crânio que os russos afirmam por décadas são prova de que Hitler cometeu suicídio.

As descobertas surpreendentes de Bellatoni levaram Corsi a fazer mais investigações.
“O que me fez questionar o suicídio de Hitler foi a análise de DNA que Bellatoni realizou. Essa análise provou de forma conclusiva que os fragmentos de crânio não pertenciam a Hitler, mas a uma mulher de 40 anos que não tinha parentesco nenhum com Eva Braun,” disse Corsi.
Em “Hunting Hitler,” Corsi sugere que Hitler foi para a Argentina com a ajuda de agentes de inteligência dos EUA que vinham trabalhando secretamente com os nazistas desde 1943. Allen Dulles, então um agente do Escritório de Serviços Estratégicos, ou ESE, a agência anterior à CIA, estava se comunicando secretamente com os nazistas mais importantes a partir de seu escritório em Berna, Suíça, disse Corsi.
Corsi traz à tona muitas questões preocupantes, inclusive:
* Por que os americanos não conseguiram obter evidência física dos restos mortais de Hitler depois que os russos esconderam o corpo dele?
* Por que Stálin e Eisenhower duvidavam da morte de Hitler?
* Por que ninguém no abrigo subterrâneo de Hitler ouviu tiros?
* Os agentes de inteligência dos EUA na Europa, inclusive o ESE e Allen Dulles (que mais tarde dirigiu a CIA sob o presidente Eisenhower), ajudaram Hitler a escapar, assim como haviam ajudado muitos outros nazistas?
Os meios de comunicação da Argentina noticiaram que Hitler havia chegado ao país e continuaram a noticiar sua presença. Por que essas descobertas não chegaram aos EUA?
Corsi contou com relatórios de autópsia, transcrições de interrogações, documentos dos arquivos soviéticos, relatórios da CIA, pesquisas extensivas na Administração Nacional Arquivos e Registros em Washington, D.C., e em College Park, Md., e muito mais para dar respaldo ao seu argumento.

Os serviços de inteligência dos EUA ajudaram Hitler a escapar?

Sua evidência é chocantemente abundante, e seu argumento claro dá crédito a uma nova teoria que desentranha o relato do duplo suicídio.
“A estória de que Hitler e Eva Braun cometeram suicídio era uma mentira planejada por agentes de inteligência dos EUA no final da 2ª Guerra Mundial para facilitar a fuga não só de Hitler e Eva Braun, mas também de importantes nazistas que eram criminosos de guerra como Adolf Eichmann que foi descoberto em 1960 escondido na Argentina,” argumentou Corsi.

Ele apresenta evidência documentada de que a missão em tempo de guerra de Allen Dulles na Suíça incluía ajudar Martin Bormann, secretário de Hitler, a canalizar bilhões de dólares de lucros financeiros mal obtidos da Alemanha e investir no mercado de valores dos EUA e Argentina para fornecer uma proteção financeira para sobreviver escondidos depois da guerra.

Nos Arquivos Nacionais em College Park, Corsi descobriu um recorte do jornal militar americano “The Stars and Stripes” publicado em 8 de outubro de 1945, relatando uma declaração chocante feita pelo General Dwight D. Eisenhower, então o supremo comandante das Forças Aliadas.
O curto texto diz: “Há ‘razão para crer’ que Hitler pode ainda estar vivo, de acordo com um comentário feito pelo General Eisenhower para jornalistas holandeses. A declaração do general anulou sua opinião anterior de que Hitler estava morto.”
Corsi pergunta por que a chocante declaração de Eisenhower ficou, em grande parte, sem ser noticiada em jornais e livros de história dos EUA até mesmo hoje.

Hitler estava no U-530?

Investigando o rastro da rota de fuga de Hitler, Corsi descobriu evidência documentada nos Arquivos Nacionais de que Hitler conseguiu chegar a Argentina num submarino alemão, o U-530 que misteriosamente emergiu no porto de Mar del Plata sob o comando de Otto Wermuth e seu subcomandante, Karl Felix Schuller, depois de terem passado semanas fazendo desembarques clandestinos de passageiros ao longo das praias argentinas no oceano Atlântico.

Bem escondido nos Arquivos Nacionais, Corsi descobriu um relatório dos serviços navais de inteligência dos EUA escrito em 18 de julho de 1945, pelo adido naval em Buenos Aires que notificou Washington de que havia razão para acreditar que o U-530 havia desembarcado Adolf Hitler e Eva Braun no sul da Argentina antes que o submarino fizesse sua viagem para se entregar em Mar del Plata.

Corsi tinha as reportagens dos jornais traduzidas de Hitler e Braun recebendo as boas vindas de ricos simpatizantes nazistas da grande comunidade alemã da Argentina. Os alemães ali haviam construído uma mansão escondida nas densas florestas montanhosas de Bariloche para dar conforto e segurança ao führernazista em seus anos de velhice.

Corsi escreve: “Em 1943, o arquiteto Alejandro Bustillo, a pedido de apoiadores alemães de Hitler então vivendo na Argentina, planejaram e construíram uma muito bem planejada residência de resort para Hitler e Eva Braun, Residencia Inalco, localizada numa região remota entre San Carlos de Bariloche Villa La Angostura, que tem limite no lago Nahuel Haupi, fora da cidade de Bariloche, na província de Rio Negro, Argentina.”

No sul da Argentina na região dos Andes vizinha do Chile, ele escreve: “As cercanias e a residência de Hitler foram selecionadas e projetadas para ter uma distinta sensação do refúgio Obersalzberg de Hitler acima da cidade de Berchtesgaden nos Alpes da Bavária. Hitler se mudou para a residência em junho de 1947.”
Traduzido por Julio Severo do artigo do WND: Shocking evidence Hitler escaped Germany
Leitura recomendada:

Arcebispo: Prefiro ir para o inferno

Arcebispo: Prefiro ir para o inferno

Desmond Tutu desafia “homofobia” no céu

Bob Unruh
Um veterano ativista cristão e blogueiro internacional que enfrentou perseguição no Brasil por seu apoio ao casamento bíblico e à condenação da homossexualidade como pecado diz que há uma específica vida após a morte que pode suprir as necessidades das convicções pró-LGBT do ex-arcebispo anglicano Desmond Tutu.
Tutu é o ativista de direitos sociais da África do Sul que alcançou o estrelato na batalha da década de 1980 por causa do apartheid. Ele recebeu o Prêmio Nobel da Paz de 1984, o Prêmio Albert Schweitzer para o Humanismo em 1986 e o Prêmio da Paz de Sydney em 1999, entre outros.
Num recente discurso para autoridades que estão encabeçando uma estratégia da ONU para promover “direitos gays” na África, ele declarou: “Eu me recusaria a ir para um céu homofóbico.”

Suas declarações, documentadas pela BBC, continuaram.

“Não, sem me desculpar eu mostraria que minha vontade é ir para o ‘outro’ lugar,” disse ele.
Tutu estava na Cidade do Cabo, África do Sul, falando no lançamento da campanha “Livres e Iguais.”
Ele comparou o direito dos homossexuais escolherem seu estilo de vida ao racismo na África do Sul.
“Eu não adoraria um Deus que é homofóbico, e é desse jeito que são meus sentimentos mais profundos sobre esse assunto,” continuou ele, acordo com a BBC. “Tenho tanta paixão por essa campanha quanto eu tinha com relação ao apartheid. Para mim, está no mesmo nível.”
Sem problema, apontou Julio Severo, que escreve no blog internacional Last Days Watchman.
Severo tem trabalhado para que o Brasil se oponha à defesa da agenda gay e do “casamento” de mesmo sexo.
Como consequência de seu trabalho, ele acabou se escondendo e então saindo do Brasil completamente por causa das perseguições. Ele continua seu trabalho, mas de uma localidade desconhecida.
Num fórum popular nos EUA que lida com muitas questões bíblicas, Severo conta de sua experiência de escrever em seu blog sobre uma nação que está mergulhando na homossexualidade e os resultados.
“Revelei ao Brasil pela primeira vez que o governo Lula havia introduzido na ONU uma resolução classificando a homossexualidade como um direito humano inalienável.”
Depois que seu blog foi lançado em 2005, ele começou a conscientizar as pessoas acerca do projeto de lei chamado PLC 122, um projeto “anti-homofobia.”
“O PLC 122 buscava dar ao governo poder de exercer total controle sobre os pensamentos das pessoas e teria criminalizado toda opinião interpretada como ‘antigay.’ Equivalia a nada menos do que uma proibição direta contra o Cristianismo bíblico,” disse ele.
Em resposta ao seu ativismo, o PayPal, por meio do qual ele recebia doações, se recusou a continuar recebendo doações para ele.
“Tutu não precisaria lutar contra a ‘homofobia’ no céu. Aliás, ele não veria nenhuma ‘homofobia’ no céu, pois não existem homossexuais ali. Na presença de Deus há só pessoas que foram libertas de uma vida passada de pecados, inclusive a homossexualidade,” escreveu Severo.
“É claro que se, conforme pregam os supremacistas gays, a ‘homofobia’ significa criticar a homossexualidade, então Tutu não vai querer ir para céu, que está sob o governo dAquele que é o autor de todas as condenações à homossexualidade na Bíblia,” continuou ele.
“Além disso, Tutu não ficaria contente de ouvir de Deus que ele era na verdade uma consciência muito imoral para a África do Sul por seu apoio ao que Deus chama de abominação.”
Severo citou referências do Antigo Testamento (Levítico 18:22 ACF: “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é.”) e do Novo Testamento (1 Coríntios 6:9-10 KJA: “Não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem os que se entregam a práticas homossexuais de qualquer espécie, nem ladrões, nem avarentos, nem viciados em álcool ou outras drogas, nem caluniadores, nem estelionatários herdarão o Reino de Deus.”)
“Deus ama os pecadores homossexuais, mas ele odeia o pecado homossexual,” continuou Severo. “No entanto, há um lugar para onde Tutu pode ir. No inferno, a campanha de Tutu seria muitíssimo necessária, pois Satanás ama a violência contra os seres humanos — todos os seres humanos — inclusive os homossexuais. No inferno, Tutu poderia lutar contra a ‘homofobia’ de Satanás.”
Severo disse: “Com certeza, Tutu se sentirá a vontade no inferno e na presença de Satanás, o autor de toda violência e perseguição contra o povo de Deus que alerta os pecadores sobre seus pecados, inclusive a homossexualidade, que levam ao inferno.”
Tutu também atuou, junto com Jimmy Carter, nos Anciões, um grupo de líderes mundiais que tratam de questões como desenvolvimento sustentável, igualdade para as mulheres e o conflito entre Israel e os palestinos.
Traduzido por Julio Severo do artigo do WND: Archbishop: I’d rather go to hell
Leitura recomendada:

ONU quer criminalizar “homofobia”

ONU quer criminalizar “homofobia”

Aumenta a pressão para aprovar lei que criminalizará “preconceitos”

Reportagem da redação do WND
Uma coalizão de organizações da ONU se uniu aos ativistas homossexuais do Brasil numa campanha para pressionar o Brasil a criminalizar a “homofobia” com o pretexto de que tais “preconceitos” são um impedimento para os programas de prevenção à AIDS.
De acordo com uma reportagem de Julio Severo, dono do blog de língua inglesa Last Days Watchman, uma recente carta dirigida à presidente Dilma Rousseff e outras autoridades explica que a comunidade homossexual do Brasil tem sido infestada por índices de AIDS de “mais que 10 por cento”.
Embora a “epidemia” de AIDS esteja varrendo o Brasil, apenas 0,6 da população geral foi afetada. A cartaafirma que o “principal culpado da elevada prevalência do HIV entre homossexuais é a elevada violência contra eles”.
A carta também diz que preconceitos contra a homossexualidade são um forte impedimento para os programas de prevenção à AIDS.
A carta recente veio do Grupo Temático Expandido em HIV/AIDS no Brasil, em parceria conjunta com USAID, ACNUR, ONU Mulheres, UNAIDS, UNESCO, FNUAP, UNICEF e várias outras organizações.

Os signatários incluem o Ministério da Saúde do Brasil e a Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência do Brasil e a ABGLT, a maior organização homossexual do Brasil, relatou Severo.

A iniciativa ocorre num momento em que as organizações socialmente progressistas estão aumentando sua pressão para que o Brasil promova e proteja a homossexualidade, ao ponto de sujeitar os que têm opiniões discordantes a ações criminais.
Um recente estudo testou a população brasileira para apurar o nível de “homofobia” perguntando às pessoas para que comentassem acerca de tais declarações como “Deus fez o homem e a mulher com sexos diferentes para que cumpram seu papel e tenham filhos”, relatou Severo.
Ele disse que os 92% de brasileiros que concordaram parcial ou completamente com essa declaração foram rotulados de “homofóbicos”.
“Com base nos resultados totais do estudo, o governo brasileiro determinou que 99% de seus cidadãos eram ‘homofóbicos’ e portanto precisavam ser reeducados”, explicou ele.
“Ao que tudo indica falhando em sua missão de realizar uma reeducação em massa de seu povo, o governo de Dilma agora recebe apoio internacional para avançar seus empacados projetos e medidas anti-‘homofobia’”.
Severo disse que a carta explica que a criminalização da “homofobia” é “fundamental para o sucesso dos programas de AIDS”.
Em sua reportagem, ele disse: “A carta dá um exemplo da elevada violência contra os gays, citando uma estatística de 278 homossexuais assassinados em 2011 no Brasil. A estatística, produzida pelo Grupo Gay da Bahia, é um contraste total com os cerca de 50.000 brasileiros assassinados a cada ano. As políticas socialistas de desarmamento têm deixado a população brasileira à mercê de criminosos e assassinos. Os homossexuais, que muitas vezes vivem em áreas infestadas de prostituição e drogas, não são mais vulneráveis do que a população geral”.
Severo também comentou que essa informação é suspeita, pois sua fonte é o Grupo Gay da Bahia. Ele disse que esse grupo foi fundado por Luiz Mott, cuja defesa da pedofilia é pública.
Severo disse que a carta frisa que o Estado brasileiro não deve ter conexão religiosa.
“O governo brasileiro não tem religiões oficiais e não-oficiais, mas as agências da ONU por trás da carta estavam obviamente de olho nos sentimentos cristãos da maioria dos brasileiros”, disse ele. “Por causa desses sentimentos e herança, os brasileiros rejeitam qualquer tipo de doutrinação homossexual nas escolas e a imposição da ideologia gay em sua sociedade”.
Ele disse que a carta pressiona em favor da adoção de medidas para combater a “homofobia”, inclusive planos como o PLC 122, uma lei que tornará crime as opiniões “homofóbicas”.
Os críticos argumentam que a aprovação do projeto censuraria os líderes e membros de grupos religiosos que mencionam versículos anti-sodomia da Bíblia — até mesmo dentro dos templos.
Severo disse: “Certamente, o governo de Dilma recebe de braços abertos a pressão para fazer exatamente o que já vem querendo fazer há um longo tempo: impor a agenda gay na maioria dos brasileiros que insiste em ver a homossexualidade como uma anormalidade”.
O trabalho de Severo de defender a família no Brasil tem atraído grande oposição. Numa reportagem, o WND noticiou quando o PayPal atendeu a um campanha online realizada por ativistas homossexuais. A campanha exigia que o PayPal lançasse uma investigação contra Severo e lhe negasse o uso de seu sistema.
Os executivos do PayPal despacharam um email explicando que por causa de “restrições legais e regulatórias”, a empresa PayPal Private Limited “não pode processar pagamentos de doações para entidades de caridades e organizações sem fins lucrativos que não foram registradas; organizações/partidos políticos; instituições religiosas; levantadores de fundos para pessoas ou organizações, etc.”
A medida do PayPal cortou importantes níveis de apoio financeiro para Severo, que depende de amigos e outros para continuar o trabalho de seu ministério.
“O PayPal diz que não permite o uso de seu serviço para atividades que promovem ódio, violência ou intolerância racial, mas sua ação contra minha conta foi incitada por uma campanha de ódio por parte de ativistas gays que queriam fechar minha conta”, Severo disse para WND na época. “Estou muito preocupado, pois o PayPal se prostrou diante dos militantes gays e sua campanha de ódio para que eu fosse excluído do PayPal”.
O PayPal não quis fazer comentário, mas outros não hesitaram em expressar suas opiniões. Don Hank, que é o dono do site Laigle’s Forum, disse: “Isso é guerra… o PayPal é agora o inimigo oficial do Cristianismo tradicional”.
Traduzido por Julio Severo do artigo de WND: U.N. wants ‘homophobia’ criminalized
Leitura recomendada:

Grupo islâmico ameaça WND

Grupo islâmico ameaça WND

“Não queremos enveredá-los pelo mesmo caminho que outros já seguiram”

Bob Unruh
Um homem que se diz representar a organização United Muslim Nations International (Nações Muçulmanas Unidas Internacional) admoestou o WND para “moderar” as suas reportagens sobre questões envolvendo o islã, devido à maneira como os muçulmanos podem reagir.
O aviso veio na forma de um e-mail ao WND da autoria de Faarooq al Mohammedi, que afirmou estar fazendo a solicitação em nome da organização muçulmana para que o WND “obedeça, pois isso seria do interesse da empresa, uma vez que não queremos enveredá-los pelo mesmo caminho que outras empresas de mídia não-complacentes seguiram”.

A mensagem alertava o WND para que “tomasse precauções extras ao publicar material religiosamente sensível ou ao criar suspeitas religiosamente sensíveis sobre crenças e práticas religiosas”.

Ele ameaça, “Agradeceríamos se vocês pudessem limitar o processo de classificação e moderação dos artigos a serem publicados, pois qualquer material falso publicado pelo WND será tomado como uma brecha nos padrões de notícias internacionais; questões religiosamente sensíveis devem ser baseadas em fatos sólidos e inegáveis, e a recusa em produzir provas de tais artigos publicados nos deixará sem opção a não ser promover a completa remoção do WND online e do público em qualquer mídia impressa”.
Contatado pelo WND por um número de telefone da África, Mohammedi não pode citar qualquer ponto específico das reportagens do WND. Em vez disso, ele promoveu um califado mundial islâmico, assunto mencionado em uma reportagem do WND há alguns dias atrás sobre uma conferência na Áustria.
“Não é interessante?” disse o editor e fundador do WND Joseph Farah, “Esse sujeito faz uma acusação, mas não consegue fornecer provas para sustentá-la. No entanto, faz ameaças abrangentes sobre fechar o WND e aliciar a ajuda de governos não mencionados”.
“É por isso que os americanos que acreditam na liberdade de expressão não devem nunca permitir que agências internacionais se envolvam no policiamento da internet. Nem podemos nos deixar intimidar com autocensura e padrões de ‘politicamente correto’ devido a grupos de interesse”.
Pamela Geller, que escreve para o blog AtlasShrugs e há tempos vem lutando contra a invasão da lei islâmica nos Estados Unidos, disse que embora ela não esteja familiarizada com o grupo, a tática é comum.
“A tática não passa de intimidação supremacista islâmica, uma estratégia consagrada que eles utilizam com frequência”, afirma. “Eles não podem nos responder, então eles tentam nos calar”.
Geller tem lutado constantemente pelo direito de postar anúncios criticando o islã nos mesmos lugares onde há anúncios que o promovem. Ela frequentemente precisa recorrer à justiça para ter o mesmo acesso que organizações pró-islâmicas recebem livremente.
Mohammedi disse ao WND em entrevista por telefone em 28 de fevereiro que sua preocupação é que a publicação de materiais que não lhe agradam “criem um problema em escala global”.
“Algumas pessoas possuem diferentes formas de reagir a diferentes artigos que são publicados”, afirma. “Estamos tentando prevenir que certos eventos indesejados aconteçam devido a essas publicações”.
“Precisamos que essas publicações acabem, pois se vocês querem paz e estabilidade no mundo, precisariam que essas coisas acabassem também”.
Com relação ao WND, Mohammedi não consegue identificar um único ponto preocupante, mas afirmou saber que havia alguns, e que ele responderia por e-mail. O e-mail nunca chegou.
Tudo o que ele disse foi que havia artigos que tratavam de “suspeitas” a respeito do islã.
“O islã é muito aberto, muito aberto. Não há nada suspeito a respeito dele”, afirmou.
Mohammedi alegou que o e-mail ao WND era parte de uma campanha.
“Já lidei com várias pessoas. Temos governos envolvidos com investigadores, e eles fizeram ajustes”, explicou.
“Basicamente, nosso conselho é que as pessoas precisam tomar precauções extras e moderar o que quer que seja publicado”, afirmou, referindo-se a recentes menções do califado, embora não fosse capaz de afirmar que elas eram do WND.
“Eles levam a mensagem (do califado)… é quase como se houvesse alguma suspeita ou algo terrível. Do ponto de vista islâmico, o sistema do califado deverá ser uma coisa boa. Não deveria ser visto como algo ruim”, afirmou.
“O califado irá evitar vários conflitos ao redor do mundo, assim como irá fornecer ao mundo uma estrutura central de governo”.
Farah afirmou que seus avós “não fugiram do Oriente Médio tomado pelo islã para que seus netos tivessem que medir palavras sobre a opressão islâmica no mundo, e mais frequentemente, aqui nos EUA”.
“Enquanto eu viver, o WND irá continuar mostrando a verdade sobre a Sharia, a jihad o terror islâmico”, disse Farah.
Embora Mohammedi tivesse afirmado que o website da organização ainda não estava funcionando, o WND localizou um site que parece representar a organização.
O site declara: “O verdadeiro muçulmano se mantêm firme e forte contra os Kufar (infiéis), nós os Mu’min iremos sempre derrotar os Kufar, e temos amor uns pelos outros”.
O site também afirma que a sua sede está localizada em Jerusalém e explica, “Não somos apenas uma organização a caminho da união de toda a Umma (nação) islâmica, somos uma organização de direitos humanos de acordo com os mandamentos/Sharia (Lei Divina) do todo-poderoso Alá e do sagrado Alcorão, e conforme prescrito na Suna (exemplos) do nosso adorado Nabi (profeta) Maomé”.
Os links disponíveis no site levam a artigos intitulados “O Mundo Sob o Califado Islâmico”, “Hezbollah”, “Organização para a Libertação da Palestina”, “Organização Islâmica da América do Norte”, entre outros.
A reportagem anterior do WND sobre o Conferência do Califado 2012 noticiou como ele estava sendo organizado por Hizb ut-Tahrir, que foi descrito como um “grupo pan-islâmico extremista que busca estabelecer um Estado islâmico global, ou califado, governado pela lei islâmica da sharia”.
Traduzido por Luis Gustavo Gentil do artigo do WND: “Islamic group threatens WND

PayPal implicated in criminal activity

PayPal implicated in criminal activity

By Julio Severo
WND, which I consider the best conservative newssite in the world, ran an explosive headline yesterday: PayPal implicated in bank fraud.
Who could imagine: PayPal, which moved to exterminate my account, has now become the focus of a money-laundering scandal.
Don Hank, the owner of Laigle’s Forum, had this to say about the WND headline: “Now link this story with the way PayPal heavy-handedly refused service to Julio Severo because his web site opposes gay marriage, and you can see how radical social agendas and their implementation are actually a symptom of a deeper-lying criminal mindset. It is criminal capitalism linked to criminal government (which did nothing to protect Julio), a potent cocktail of pure sleaze.”
In my case, the hostile PayPal behavior was followed by the suspicious behavior of two US gay groups.
On August 21, 2011, the Human Rights Campaign was recorded visiting my blog in a tracking report. This is the most powerful homosexual organization in America. In the next few days, AllOut, a heavily-funded gay group, launched an online petition campaign to have accounts of 10 pro-family groups cut off from PayPal. Even though I am not an organization, my name was included in this public gay campaign, and my account was closed.
The PayPal case, where my situation was mentioned, was mostly covered by the US Christian media. See one of the video reports: http://www.youtube.com/watch?v=eu7FiDhCgSI

WND has also produced an excellent, extensive report: http://www.wnd.com/index.php?fa=PAGE.view&pageId=346825
Last December, PayPal closed my account definitively. To me, PayPal explained that I am ineligible to receive donations from my friends and readers because “you are not a registered non-profit organization”. To AllOut, PayPal explained that they closed my account because “We take very seriously any cases where a user has incited hatred, violence or intolerance because of a person’s sexual orientation”.
Now, I can no longer receive donations from my friends through PayPal.
In a listing of the top ten anti-Christian acts in 2011, the Christian Anti-Defamation Commission ranked the gay pressure on PayPal as fourth top anti-Christian act, as reported by Charisma magazine.
Now, see the giant’s dirty hands that moved against me incited by a US gay group. To read the full report, follow the WND link:

PayPal implicated in bank fraud

Alleged money-laundering scheme by global finance giant involved billions
NEW YORK – A former employee of one of the world’s largest international banks who has provided WND with more than 1,000 pages of evidence alleges the Internet giant PayPal and American Express are implicated in an international money-laundering scheme involving hundreds of billions of dollars.
The whistleblower, John Cruz, was a relationship manager in the southern New York region for the London-based global bank HSBC.
“I found many accounts where PayPal and American Express were used as conduits through which hundreds of thousands of dollars were deposited or withdrawn from HSBC customer accounts in a pattern of suspicious transactions that should have been reported to legal authorities under various banking statutes, including the Patriot Act,” Cruz told WND. (WND source: “PayPal, American Express implicated in bank fraud”)
Portuguese version of this article: PayPal envolvido em atividade criminosa

Meus estranhos visitantes: Sede do Comando de Sistemas de Informações do Exército dos Estados Unidos visitando meu blog pró-família?

Meus estranhos visitantes

Sede do Comando de Sistemas de Informações do Exército dos Estados Unidos visitando meu blog pró-família?

Julio Severo
O Ministério de Segurança Nacional. A Campanha de Direitos Humanos. A sede do CSIEEU. Esses foram alguns dos meus estranhos visitantes nos últimos seis meses.
Em 27 e 29 de julho de 2011, o Ministério de Segurança Nacional dos EUA (MSN) apareceu no meu registro de visitantes ao meu blog em inglês. Acerca dessa visita, WorldNetDaily, o site conservador mais importante de língua inglesa, noticiou:
“O Ministério de Segurança Nacional dos EUA começou a vigiar um blog postado por um cristão que foi forçado a fugir do Brasil por causa do conflito entre a agenda de ‘crimes de ódio’ pró-homossexualismo da nação e a defesa dele ao casamento tradicional. Entretanto, o que não está claro é exatamente o motivo por que o governo americano, que várias vezes ligou cristãos e conservadores ao terrorismo, está vigiando Last Days Watchman, o blog em inglês de Julio Severo que é assumidamente cristão. WND pediu que o Ministério de Segurança Nacional (MSN) desse uma explicação, mas não recebeu resposta”.
O MSN recusou dar uma resposta sobre suas intenções ou visitas ao meu blog. Mas as intenções do governo de Obama não são obscuras. No mês passado, o governo dos EUA anunciou que uma de suas prioridades de política externa seria avançar a agenda homossexual, ordenando que todas as suas embaixadas, consulados e outros órgãos do governo americano que fazem negócios no exterior façam dessa agenda prioridade.
Se os ativistas gays estão gozando de favores máximos do governo americano, será que os opositores da agenda gay estão na “lista negra”? Provavelmente, eles não estão ainda mirando os cristãos pró-família para matá-los, mas certamente para matar seus ministérios e recursos financeiros.
Em 21 de agosto de 2011, a Campanha de Direitos Humanos foi apanhada visitando meu blog num registro de visitas. Essa é a organização homossexual mais forte dos EUA. Nos dias seguintes, AllOut (Tudo Fora do Armário), uma organização gay que recebe muitos financiamentos, lançou uma campanha de abaixo-assinado online para que o PayPal fechasse as contas de 10 organizações pró-família. Ainda que eu não seja uma organização, meu nome foi incluído nessa campanha gay internacional, e minha conta foi fechada. Para mim, o PayPal explicou que estou desqualificado para receber doações de meus amigos e leitores porque “você não é uma organização registrada sem fins lucrativos”. Para AllOut, o PayPal explicou que fechou minha conta porque “Levamos muito a sério quaisquer casos em que um usuário incitou ódio, violência ou intolerância por causa da orientação sexual de uma pessoa”.
Agora, não posso mais receber doações de meus amigos por meio do PayPal. De novo, WorldNetDaily denunciou o ataque contra meu blog.
Fico tentando imaginar o que teria acontecido se um ativista homossexual tivesse sua conta de PayPal fechada depois de uma campanha conservadora cristã. Provavelmente, ele poderia entrar em qualquer embaixada e consulado americano em qualquer lugar do mundo e dizer: “Ei, sou um gay que está sendo perseguido por cristãos conservadores. O PayPal até fechou minha conta por causa desses cristãos!” Ele seria imediatamente colocado na frente da fila para emigrar para os Estados Unidos como uma pessoa favorecida por Obama e receber assistência legal para processar o PayPal!
Pelo menos, nosso caso é uma das preocupações prioritárias dos cristãos. A Comissão Anti-Difamação de Cristãos classificou a pressão gay sobre o PayPal como quarto maior ataque anticristão de 2011.
O visitante mais recente: Comando de Sistemas de Informações do Exército dos Estados Unidos

O visitante mais recente do meu blog foi o mais estranho: a visita foi rastreada diretamente do Comando de Sistemas de Informações do Exército dos Estados Unidos (CSIEEU)! Se meu blog em inglês tem um fã ali, fico pensando se o CSIEEU, que tem um sofisticado e seguro sistema de comunicação interno, permite que seus visitantes ou funcionários militares acessem a internet externa.

Os Estados Unidos são um das principais nações cristãs do mundo, mas têm um governo que vem energicamente promovendo a agenda gay por meio de suas agências de “assistência” e embaixadas. E pelo fato de que o CSIEEU é parte do governo americano, não seria de estranhar que estivesse monitorando a oposição aos novos “interesses” dos EUA. O que é importante para os ativistas gays é importante para o governo americano, e recentemente The Advocate, a maior revista gay dos EUA, deu uma “olhada” no meu blog. Então por que órgãos favoráveis ao homossexualismo como o Ministério de Segurança Nacional, a Campanha de Direitos Humanos e a sede do CSIEEU não podem também dar uma “olhada”?
Gostaria de achar que o estranho visitante ao meu blog é apenas um sinal de que tenho um amigo na sede do CSIEEU. Se não, a resposta cristã a ameaças militares precisa ser a mesma resposta que Eliseu deu: “Mais são os que estão conosco do que os que estão com eles.” (2 Reis 6:16 ACF)
Além disso, Deus tem seus próprios exércitos e pode destruir qualquer exército maligno: “Naquela noite o Anjo do Deus Eterno foi até o acampamento dos assírios e matou cento e oitenta e cinco mil soldados. De manhã, os que sobraram viram os corpos dos mortos.” (2 Reis 19:35 BLH)
Muito embora o Exército americano tenha muitos soldados cristãos, Deus não tem compromisso nenhum de abençoar ou proteger um governo energicamente promovendo a homossexualidade, o aborto e outros males no mundo inteiro.
Que os homens cristãos no Exército dos EUA avancem o Reino de Deus enquanto o governo americano e seu exército estão lutando contra ele.
Versão em inglês deste artigo: My strange visitors
Versão em espanhol deste artigo: Mis singulares visitantes

My strange visitors: United States Army Information System Command headquarters visiting my pro-family blog?

My strange visitors

United States Army Information System Command headquarters visiting my pro-family blog?

By Julio Severo
The Department of Homeland Security. The Human Rights Campaign. The USAISC headquarters. These were some of my strange visitors in the last six months.
On July 27 and 29, 2011, the Department of Homeland Security (DHS) appeared in my tracking report visiting my English blog. About this visit, WorldNetDaily, the most important conservative news website in English, reported,
“The U.S. Department of Homeland Security has begun watching a blog posted by a Christian who was forced to flee Brazil because of the conflict between that nation’s pro-homosexual ‘hate crimes’ agenda and his advocacy for traditional marriage. Exactly why the U.S. government, which several times has linked Christians and conservatives with terrorism, is watching Julio Severo’s unabashedly Christian Last Days Watchman blog isn’t clear. A WND request to the DHS for comment did not generate a response”.
DHS refused to answer regarding its intentions or visits to my blog. But the intents of the Obama administration are not obscure. Last month, the US government announced that advancing the homosexual agenda would be one of its top foreign policy priorities, and directed all of its embassies, consulates and other US government entities that operate overseas to make this agenda a priority.
So if gay activists enjoy the top favor with the US government, are opponents of the gay agenda in the “hit list”? Probably, they are not yet aiming at pro-family Christians to kill them, but certainly to kill their ministries and financial resources.
On August 21, 2011, the Human Rights Campaign was recorded visiting my blog in a tracking report. This is the most powerful homosexual organization in America. In the next few days, AllOut, a heavily-funded gay group, launched an online petition campaign to have accounts of 10 pro-family groups cut off from PayPal. Even though I am not an organization, my name was included in this public gay campaign, and my account was closed. To me, PayPal explained that I am ineligible to receive donations from my friends and readers because “you are not a registered non-profit organization”. To AllOut, PayPal explained that they closed my account because “We take very seriously any cases where a user has incited hatred, violence or intolerance because of a person’s sexual orientation”.
Now, I can no longer receive donations from my friends through PayPal. Again, WorldNetDaily denounced the attack against my blog.
I wonder what would have happened if a homosexual activist had had his PayPal account closed after a Christian conservative campaign. Probably, he would be able to walk into any US embassy and consulate anywhere in the world and say, “Hey, I am a gay under persecution from conservative Christians. PayPal even closed my account because of these Christians!” He would be immediately put at the front of the line to migrate to the United States as an Obama-favored individual and receive legal assistance to sue PayPal!
At least, our case is one of the top concerns of Christians. The Christian Anti-Defamation Commission ranked the gay pressure on PayPal as fourth top anti-Christian act of 2011.
The latest visitor: the United States Army Information System Command (USAISC)

The latest visitor to my blog was the strangest: the visit was tracked directly to the United States Army Information System Command (USAISC) headquarters! If my English blog has a fan there, I wonder if USAISC, which has a secure, sophisticated, internal communication system, allows its visitors or military employees to access external internet.

The United States is one of the leading Christian nations in the world, but has a government that has been actively promoting the gay agenda through its “aid” agencies and embassies. And since USAISC is part of the US government, it would be no wonder if it has been monitoring opposition to the new US “interests”. What is important to gay activists is important to the US government, and recently The Advocate, the largest gay magazine in America, took a recent look at my blog. So why can’t the gay-friendly Department of Homeland Security, Human Rights Campaign and USAISC headquarters take a “look” too?
I would like to think that the strange visitor to my blog is just a sign that I have a friend in the USAISC headquarters. If not, the Christian answer to military threats should be the same answer given by Elisha: “Those who are with us are more than those who are with them.” (2 Kings 6:16 ESV)
Besides, God has his own armies and he can destroy any wicked army: “And that night the angel of the LORD went out and struck down 185,000 in the camp of the Assyrians. And when people arose early in the morning, behold, these were all dead bodies.” (2 Kings 19:35 ESV)
Even though the US Army has many Christian members, God has no commitment to bless or protect a government actively promoting homosexuality, abortion and other evils around the world.
May Christian men in the US Army advance God’s Kingdom while the US government and its army are fighting it.
Portuguese version of this article: Meus estranhos visitantes
Spanish version of this article: Mis singulares visitantes