Trump e Papa Francisco e seu sorriso ideologicamente fatal

O progressista Martin Luther King teria sorrido?

Julio Severo

A grande mídia esquerdista dos EUA começou a promover uma narrativa de que o presidente Donald Trump e o Papa Francisco tiveram uma reunião “tensa” no Vaticano, porque numa foto Trump estava sorrindo e o papa não.

No Brasil, a interpretação equivocada foi pior. “Conservadores” católicos radicais sugeriram que o sorriso de Trump foi confirmação de que ele é conservador, e a falta de sorriso no papa foi confirmação de que ele é um comunista! Aliás, eles usaram (e abusaram) várias fotos de Francisco.

O líder pró-vida americano Bill Donohue, que é presidente da organização conservadora Liga Católica, disse que essa narrativa é falsa.

Ele publicou a seguinte repreensão forte aos meios de comunicação:

A primeira reportagem que ouvi nesta manhã sobre a reunião entre o presidente e o papa foi na rádio: a rádio WCBS disse que os jornalistas estavam reparando no fato de que o presidente Trump sorria, mas o Papa Francisco não. Isso tem de significar algo, é claro. Mas não significa — não significa nada. Como até mesmo os jornais esquerdistas New York Times e Washington Post reconheceram, os dois estavam todo sorridentes ao se apertarem as mãos. E daí?

Quando me encontrei com o papa, ele mostrou um sorriso de vitória quando apertamos as mãos, mas parecia sério durante uma das fotos com nosso grupo. Esse é o jeito dele. Imagine se Trump não estivesse sorrindo e o papa estivesse. Isso significaria que Trump havia sido colocado no lugar dele? E se nenhum dos dois estivesse sorrindo? Isso significaria que os dois se odeiam?

Pela experiência de Donohue, o papa poderia ser visto sorrindo ou não sorrindo nas fotos da mesma reunião, e tudo dependeria da escolha do fotógrafo, que poderia escolher uma foto com Trump sorrindo e o papa não. Ele poderia também escolher uma foto com o papa sorrindo e Trump não.

Donohue disse:

O presidente Trump e o Papa Francisco discordam na questão do aquecimento global e imigração, mas eles têm mais em comum sobre aborto, “casamento” gay, ideologia de gênero e liberdade religiosa do que o que os divide. A diferença real era entre o presidente Obama e o Papa Francisco — nessas questões e outras — embora a mídia americana não noticiasse sobre isso.

Contudo, Donohue foi generoso com o desacordo entre Trump e Francisco ao limitá-lo só à questão do aquecimento global e imigração, pois a verdade é que Trump não tem se oposto ao “casamento” gay do jeito que ele tem se oposto ao aborto. Nesse aspecto, a postura de Francisco parece ser mais conservadora do que a postura de Trump, que tem mantido o imperialismo homossexual de Obama.

O papa também discorda das novas atitudes belicistas de Trump, belicismo que o próprio Trump havia condenado em sua campanha. O Trump belicista (que é essencialmente neocon) de hoje era condenado pelo Trump da campanha. Então o papa não está só: o Trump da campanha também não ficaria contente com o atual Trump belicista.

A propósito, se eu fosse presidente dos Estados Unidos, eu levaria um presente especial para o papa: uma coleção de livros sobre o Presidente Ronald Reagan ou outro líder americano conservador. Trump poderia ter feito isso facilmente.

Entretanto, ele deu a Francisco uma caixa de livros de primeira edição do Rev. Rev. Martin Luther King, Jr., e disse: “Acho que você adorará esses livros.”

Momento em que Trump dá coleção de Martin Luther King para Papa Francisco

King foi um famoso líder progressista americano. Ele era adepto do Evangelho Social (muito parecido com a Teologia da Missão Integral), que é a versão protestante americana da marxista Teologia da Libertação. Ele era também um adúltero compulsivo.

Trump estava tentando mostrar ao papa que ele também tem um lugar para a ideologia progressista em sua alma?

Trump não tem um histórico conservador. E seu presente progressista para Francisco está em conformidade com seu histórico. Seu presente mostra que, no que se refere à ideologia progressista, Trump tem afinidade com Francisco?

Se os meios de comunicação fossem honestos, usariam o presente progressista dele para mostrar que o Presidente Trump e o Papa Francisco tiveram uma reunião amistosa.

Se o papa tivesse dado uma coleção de Martin Luther King para Trump, a mídia esquerdista e os conservadores católicos brasileiros estariam dizendo: “Está confirmado. Francisco é progressista!” Mas foi Trump quem deu. O que está confirmado então?

Francisco retribuiu o presente de Trump com uma grande medalha feita por um artista romano — a imagem de um pé de oliveira, que é o símbolo da paz.

“É meu desejo que você se torne um pé de oliveira para construir a paz. Assinei-a pessoalmente para você,” Francisco lhe disse.

“Ooh,” Trump disse. “Isso é tão belo.”

Uma mensagem bela e necessária. Avigdor Lieberman, ministro da Defesa de Israel, disse que ele está preocupado com a “corrida armamentista” depois que Trump assinou um acordo militar colossal (a venda de 110 bilhões de dólares em equipamento militar, representando o “maior acordo da história dos EUA”) com a Arábia Saudita, o principal patrocinador do terrorismo islâmico mundial.

O fato é que Trump está acelerando a corrida armamentista ao armar o povo mais perigoso do mundo: os muçulmanos sunitas. Não dá para se pregar paz e ter um discurso contra o terrorismo islâmico armando os próprios terroristas. E Trump fez isso.

Os neocons adoram guerras. Durante sua campanha, Trump havia feito oposição a eles e sua ganância belicista. Talvez o presente do papa ajude Trump a se lembrar de que os neocons são uma ameaça.

Não é possível sorrir quando os neocons controlam o governo dos EUA para travar guerras desnecessárias no mundo inteiro apenas para produzir empregos no complexo industrial militar dos EUA.

O complexo industrial militar dos EUA sorri para os neocons, que não sorriram para o Trump do ano passado, mas que estão sorrindo para o atual Trump. O papa não está sorrindo, e estou com ele.

Os progressistas sorriem acerca de Martin Luther King. Se Trump estava sorrindo ao dar uma coleção de King ao papa, por que a mídia esquerdista e conservadores católicos brasileiros escolheram usar uma foto do papa não sorrindo?

Certamente, eu não estaria sorrindo ao receber livros progressistas e ao me encontrar com o homem que está armando pesadamente a ditadura islâmica da Arábia Saudita. Mas eu sorriria com a oportunidade de orar por ele, inclusive para que Deus enterre a ganância belicista do atual Trump e ressuscite o Trump da campanha eleitoral, o qual estava contra os neocons. O papa entende o que é aproveitar as oportunidades para Jesus?

Com informações da revista Charisma, DailyMail e Haaretz.

Versão em inglês deste artigo: Trump and Pope Francis and Their Ideologically Fatal Smile

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Trump visitará Israel, o Vaticano e a Arábia Saudita em sua primeira viagem internacional

Dinheiro de sangue: Arábia Saudita conquista Trump

O que é neoconservadorismo (neocon)?

O esquerdista, o direitista e o bolo

Trump e o papa: um populista de direita (hoje) em conflito com um populista de esquerda

Padre Paulo Ricardo louva Papa Francisco por “conversão” de jovem evangélico ao catolicismo

Trump e profecias, e um novo modelo de líder nacional e mundial

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s