Janaína Paschoal: a Rússia vai invadir o Brasil em breve

Julio Severo

Toda a mídia esquerdista brasileira está fazendo publicidade de declarações controversas da advogada Janaína Paschoal, uma das autoras do processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Segundo a revista Exame, ligada à revista Veja, Janaína “está convicta de que a Rússia tem planos de atacar o Brasil em breve.”

Em seu Twitter, Janaina explicou seus motivos: “Com uma base militar na Venezuela, Putin está a um passo de atacar o Brasil.”

Leitores brasileiros se mostraram divertidos com o comentário da Janaína. Um leitor chamado Eder, debaixo de uma foto de Putin montado num urso, disse: “Parece que a Janaína Paschoal estava correta. Já vazou foto do Putin invadindo a Amazônia.”

O leitor Carlos, debaixo de uma foto de Putin montado numa água sobrevoando montanhas, disse: “A Janaina Paschoal estava certa, acabaram de avistar Putin sobrevoando as montanhas geladas de Teresina.”

 

Colocando de lado o tsunami de piadas que o comentário da Janaína provocou, o que aconteceria se de fato Putin invadisse o Brasil? Se fosse nos tempos da União Soviética, ele imporia o ateísmo comunista no Brasil. Todas as igrejas evangélicas seriam fechadas. Para imensa alegria de uns, não haveria mais uma Rede Record cheia da religiosidade pró-aborto do Edir Macedo. Os que não gostam do Agenor Duque explodiriam de felicidade e festejos. A União Soviética transformaria a Catedral da Aparecida em Museu Ateísta da Desaparecida, mostrando como a principal estátua de idolatria brasileira “sumiu,” sem explicar que ela foi simplesmente jogada no lixo.

Mas nem Macedo e muito menos os bispos da CNBB ficariam desempregados nem seriam enviados para campos de concentração, por seus relevantes serviços prestados ao socialismo no Brasil.

E antes que os calvinistas venham rir de Macedo perdendo a Record para comunistas, a Universidade Presbiteriana Mackenzie seria transformada em Universidade Soviética Mackenzie. Mas se um Putin comunista tentasse substituir professores mackenzistas cristãos por professores marxistas e pró-aborto, ele teria muito pouco trabalho: O Macenzie já está cheio deles! O mesmo se diga das universidades católicas.

Contudo, a atual Rússia de Putin é tudo, menos ateísta, como confirmou o líder conservador americano William J. Murray em entrevista exclusiva ao Blog Julio Severo. Moscou está hoje repleta de templos da Igreja Cristã Ortodoxa. As igrejas que haviam sido destruídas pelos comunistas foram reconstruídas. As que haviam sido transformadas em museus voltaram a ser igrejas. E muitas novas foram construídas.

Se Putin invadisse o Brasil, a Igreja Cristã Ortodoxa se tornaria a igreja oficial. Os templos católicos deixariam de ter estátuas, com padres casados e, pela primeira vez na História do Brasil, não haveria um Vaticano interferindo nos assuntos nacionais.

Para a Igreja Católica, seria um ganho enorme, pois ídolos e estátuas seriam abolidos, e os padres, bispos e cardeais poderiam finalmente casar. Mas para os pentecostais, seria grande perda, pois a espiritualidade ortodoxa não tem a vitalidade e liberdade do Espírito Santo existentes em muitas igrejas pentecostais e neopentecostais.

Um lado positivo de uma invasão de Putin seria que o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu visitaria o Brasil mais vezes. Só no ano passado, ele visitou a Rússia três vezes e Putin visitou Israel. O presidente de Israel aclamou Putin como “amigo de Israel.”

O lado mais positivo para os líderes pró-família é que Putin proibiria no Brasil a ideologia de gênero, a ditatura homossexual e mandaria de foguete o Jean Wyllys, o Luiz Mott e toda a sua turma para Marte.

Mesmo assim, eu não apoiaria tal invasão. Só uma Janaína Paschoal, que já se declarou publicamente como esquerdista, para fazer tal comentário sensacionalista e bizarro. Seja como for, ela tem motivos de sobra para temer uma invasão russa: As políticas anti-homossexualistas de Putin deixam todos os esquerdistas apavorados.

De acordo com a revista Exame, Janaína também disse: “Putin tem pouco mais de 60 anos, pode ser idoso, pela lei brasileira. Para fins políticos, é um adolescente. Imperialista, ninguém nega.”

Como exemplo de que Putin é imperialista, ela cita o caso da Ucrânia. Para ela, a Ucrânia é prova de que Putin deseja dominar o mundo. Mas para conservadores americanos, o caso da Ucrânia é exemplo de como os neocons americanos, especialmente George Soros, fizeram intervenções e intromissões para remover a Ucrânia, que por quase mil anos foi território russo, da esfera da Rússia e colocá-la na esfera ocidental, de modo que a Ucrânia, que ontem não tinha agenda gay, hoje tem.

Esquerdistas como Hillary Clinton têm a mesma visão da Janaína: eles estão do lado da atual Ucrânia controlada por neocons. O candidato presidencial americano Donald Trump, que tem batido de frente com os neocons, está cercado de assessores que ajudaram a Rússia a combater Soros na Ucrânia.

Para que Putin fosse minimamente imperialista, a Rússia teria de ter bases militares em pelo menos 20 países. Não tem. E uma das bases militares russas mais necessárias é na Armênia, o primeiro país cristão do mundo. Se a Rússia não oferecesse tal proteção militar aos armênios, que são cristãos ortodoxos como os russos, a Armênia seria destruída por vizinhos islâmicos como a Turquia, que tem em seu histórico o massacre de centenas de milhares de cristãos armênios.

Em contraste, o pastor americano Chuck Baldwin, em seu artigo “Os EUA são o Império Romano revivido?,” lamentou: “As tropas americanas estão presentes em 100 países estrangeiros. Com acerto, Charley Reese comentou que os EUA têm ‘um governo nacional que tem gradualmente se desenvolvido num império em permanente estado de guerra.’”

O comentário de Janaína dizendo que Putin vai invadir o Brasil se assemelha ao comentário de Olavo de Carvalho, que tempos atrás disse que Trump quer bombardear a Rússia, quando é exatamente o contrário: a esquerdista Hillary quer bombardear a Rússia, enquanto Trump denuncia que a Hillary não cessa de demonizar Putin.

Mas, neste mundo caído, o sensacionalismo e a mentira fazem muito mais sucesso do que a verdade.

Se Trump estivesse no Brasil, ele diria que não só a Hillary, mas também a Janaína e o Olavo não cessam de demonizar Putin. Para Trump, a maior ameaça é o terrorismo islâmico, não a Rússia.

Entretanto, para os propagandistas de demonizações sensacionalistas, a Rússia vai invadir o Brasil e Trump vai bombardear a Rússia. Agora, os olavetes e os adeptos da esquerdista Janaína podem se abraçar e proclamar: “Janaína e Olavo têm razão” — de serem chamados de lunáticos!

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Hillary provocará a Terceira Guerra Mundial ao confrontar Putin por causa da Síria, avisa Trump ao pedir que EUA lutem contra o ISIS em vez de Assad

Trump se encontrará com Putin antes de sua posse

Um neocon brasileiro?

Olavo de Carvalho e seus absurdos sobre Trump e a Rússia

Se os imigrantes brasileiros nos EUA são acusados de “porcos,” por que culpar Trump?

Vladimir Putin publicamente acusado pelo governo dos EUA de conspiração para interferir na eleição presidencial contra Hillary Clinton e seu partido

Trump, Obama, Hillary e OTAN

Ion Mihai Pacepa e desinformação

Ucrânia aprova lei homossexual para facilitar relações com a União Europeia

Os neocons versus Donald Trump

Ronald Reagan: um exemplo cristão contra o comunismo

Entrevista exclusiva com William J. Murray, defensor dos cristãos perseguidos, que fala sobre a Rússia moderna

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s