O cigarro, o canalha e a Inquisição

Julio Severo

Não fume. Eu fumei. Eu queria nunca ter fumado.” Esse comentário honesto e sincero, que é uma bela propaganda anti-fumo, ou antitabagismo, veio diretamente de um ex-fumante famoso: Leonard Nimoy, ator de Jornada nas Estrelas.

Mas o cúmulo da canalhice é o sujeito fumante defender seu vício chamando de canalha quem luta contra esse vício. Em vez de honestamente dizer que o revisionismo e a reabilitação da Inquisição são o refúgio dos canalhas, ele declara com a maior cara de pau: “O antitabagismo é o penúltimo refúgio dos canalhas. O último é o desarmamento.”

Grandes ativistas pró-família nos EUA são antitabagismo. Então, todos eles são “canalhas”? Nimoy, o famoso Spock, foi também um “canalha” ao se opor ao cigarro?

O fumante de hálito e boca sujos é o mesmo sujeito que trata como canalhas os que se opõem ao seu revisionismo e reabilitação da Inquisição, que torturava e matava judeus e protestantes. (Nimoy e eu viveríamos sob risco de morte naquele tempo. Ele, por ser judeu. Eu, por ser evangélico.)

Você queria que um sujeito dessa espécie tivesse o direito de portar armas? Sou totalmente a favor de porte de armas para pessoas ajustadas que precisam de proteção para si e suas famílias. Na época da Inquisição, eu seria totalmente a favor do porte de armas para todos os judeus e protestantes, que eram as vítimas preferidas de torturadores e assassinos sádicos do que a Igreja Católica chamava de “Santa Inquisição,” mas não chama mais. Só os loucos a chamam disso hoje.

O porte de armas é necessário não só por causa de criminosos, mas também para que perseguições, torturas, assassinatos e atrocidades como os cometidos pela Inquisição nunca mais se repitam.

Por isso, sou totalmente a favor do desarmamento para bandidos e canalhas que desculpam a Inquisição. O desajuste mental, moral e espiritual de ambos é um perigo para a sociedade e exige tal controle extremo.

O sujeito fumante pró-Inquisição defende gostosamente cigarros acesos na boca, mas não dá a mínima para as vítimas judias e protestantes da Inquisição, desprezando seu sangue inocente derramado. Ele prefere, do conforto de sua poltrona, defender a máquina assassina da Inquisição. Para ele, o vício que prejudica a saúde tem valor especial e merece proteção, mas vidas inocentes não. Se isso não é canalhice pura, então o que é?

Ele parece desconhecer que a Inquisição, que havia se tornado uma máquina descontrolada, prendeu o católico Rodrigo de Jerez 500 anos atrás. O crime dele? Ele era fumante.

Até onde se tem registro, Jerez, que foi marinheiro de Cristóvão Colombo, foi o primeiro fumante da Europa. Ele conheceu o fumo durante uma das viagens de Colombo ao continente americano. Quando Jerez voltou para a Espanha, ele trouxe algum tabaco. A fumaça que cercava a face dele quando ele fumava deixava as pessoas amedrontadas. A Inquisição o jogou na cadeia porque “só o diabo podia dar ao homem o poder de exalar fumaça de sua boca.” A Inquisição o manteve encarcerado por sete anos.

Seja o que for que Jerez passou em seus sete anos de prisão, ele saiu vivo. Seu castigo foi “brando.” Seu sofrimento não foi nada em comparação com a tortura e morte que a Inquisição infligia aos judeus e protestantes. O castigo deles não era nada brando.

A Inquisição era muito mais tolerante com fumantes do que com judeus e protestantes. Talvez por isso o famoso fumante brasileiro seja um revisionista apaixonado da “Santa Inquisição.”

A Inquisição pode não ter aplicado a pena de morte em Jerez, mas as consequências médicas do fumo têm condenado milhões a enfermidades e morte. Se fumar já é ruim, que tipo de exemplo é reabilitar a Inquisição?

Precisamos seguir bons exemplos, não maus. Os EUA têm excelentes liberdades legais de porte de armas, liberdades herdadas de uma cultura predominantemente evangélica com base na Bíblia, que apoia a defesa armada. O Brasil precisa imitar isso e dar a mesma liberdade aos seus cidadãos.

Recentemente, a Assembleia Legislativa de Pernambuco instituiu oficialmente o “Dia em Memória dos Judeus Vítimas da Inquisição.” Esse é um exemplo excelente, que precisa ser imitado no Brasil inteiro, que deveria instituir nacionalmente o “Dia em Memória dos Judeus Vítimas da Inquisição.” O Brasil precisa de tal feriado nacional.

Se os bons não instituírem nacionalmente o bem, os maus poderão acabar instituindo seus males. Afinal, como é que pode o sujeito defender, com a maior sem-vergonhice, dois males (tabagismo e Inquisição) ao mesmo tempo e ainda posar de intelectualmente honesto ao xingar os que discordam de seu extremismo? Se isso não é canalhice pura, então o que é? Se isso não é desonestidade intelectual, moral e espiritual, então o que é?

O fato é: Se os canalhas não forem repreendidos por suas canalhices, eles vão tratar os outros com o mesmo desprezo que suas canalhices e desonestidade merecem. Eles vão tratar os outros conforme o boca-suja Lênin orientou os marxistas de seu tempo: “Acuse seus inimigos do que você faz, chame-os do que você é.”

Antes que eles acusem você da desonestidade que eles praticam e chamem você do que eles são, diga alto para eles ouvirem e escreva forte para eles lerem:

“A reabilitação da Inquisição é o refúgio dos canalhas.”

Se você não os repreender, eles vão xingar você. Aliás, eles já estão fazendo isso. O que você está esperando?

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Os judeus e a Inquisição

Assembleia Legislativa de Pernambuco cria Dia em Memória dos Judeus Vítimas da Inquisição

Olavo de Carvalho e a Inquisição

Se tratássemos a homossexualidade do jeito que tratamos o fumo

Campanha contra devassidão gay assemelha riscos de fontes indiretas de AIDS e outras doenças ao risco do cigarro e uso de drogas

Especialista diz que o fim das grandes empresas de cigarro oferece um guia de como obter vitória sobre as empresas pornográficas

Ator do famoso cowboy do cigarro Marlboro morre de enfermidade pulmonar

Ator Matt Damon pede abrangente proibição de armas nos EUA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s