O Novo Testamento versus o Antigo Testamento

O Novo Testamento versus o Antigo Testamento

Joseph Farah
Há um recente livro que sugere que a razão por que a política americana é “tão religiosa e divisiva” é porque nossos antepassados eram guiados mais pelo Antigo Testamento do que pelo Novo Testamento.

O livro se chama “American Zion: The Old Testament as a Political Text from the Revolution to the Civil War” (Sião Americana: O Antigo Testamento como Texto Político desde a Revolução à Guerra Civil), escrito por Eran Shalev.

Embora seja certamente verdade que os fundadores dos EUA tinham formação no Antigo Testamento, muitos deles conseguiam ler as Escrituras em hebraico e grego, e alguns faziam isso diariamente. Posso também lhe assegurar que eles conheciam igualmente o Novo Testamento.
Então há outra pergunta importante a se considerar com relação a essa teoria: Que diferença faria?
Não há contradição entre o Antigo Testamento e o Novo Testamento. Aliás, todos os ensinos de Jesus — junto com os ensinos de seus discípulos do primeiro século — eram exclusivamente do Antigo Testamento, pela simples razão de que não havia nenhum Novo Testamento.
Na Estrada para Emaús, no próprio dia em que Jesus apareceu para Seus discípulos, dois deles foram ensinados pelo Messias ressurreto das Escrituras do Antigo Testamento, mencionado em Hebreus como Tanach. Elas eram as únicas Escrituras que Jesus chegou a usar para ensinar em todo o Seu ministério terreno.
Não dá para se apreciar verdadeiramente o Novo Testamento sem compreender o Antigo Testamento. O AT coloca a base para a redenção que Jesus trouxe.
Está longe de ser um segredo, conforme Shalev escreve, que os puritanos “se enxergavam como israelitas fugindo de um novo cativeiro egípcio, cruzando um mar para alcançar a liberdade e tomar posse de uma terra prometida.”
A diferença central para Shalev é a questão da escravidão, com os opositores da escravidão usando a Bíblia para defender seu argumento e os defensores a usando para justificá-la.
Mas em nenhum lugar da Bíblia — Antigo ou Novo Testamento — se aprovava a espécie de escravidão praticada na era antes da Guerra Civil nos EUA. Aliás, o que se mencionava como escravidão na Bíblia é muito mais semelhante à servidão por contrato do que a escravidão brutal do início dos EUA.
Agora, não gosto da servidão por contrato também. Mas há claros vestígios disso vivo ainda hoje nos EUA. Aqueles de nós forçados a pagar cerca de 50 por cento do que ganhamos para o governo sabem do que estou falando.
O Deus da Bíblia nunca pediu mais de 10 por cento — e mesmo isso tinha limitações estritas.
Os abolicionlistas adoravam citar Jesus em Mateus 7:12 (KJA): “Portanto, tudo quanto quereis que as pessoas vos façam, assim fazei-o vós também a elas.” Mas isso estava longe de ser um novo ensino de Jesus, que concluiu essa declaração conhecida com a seguinte: “pois esta é a Lei e os Profetas.”
De fato era:
* Isaías 1:17 (ACF): “Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas.”
* Jeremias 22:3 (KJA): “Assim diz o Eterno: ‘Praticai o Direito, exercei a Justiça, e livrai da mão do opressor aquele que está sendo espoliado por ele. Não façais nenhum mal, constrangimento ou qualquer outra violência contra o estrangeiro, o órfão ou a viúva; nem derrameis sangue inocente neste lugar.’”
* Zacarias 7:9-10 3 (KJA): “Assim diz o SENHOR Todo-Poderoso: Praticai a justiça verdadeira, demonstrai amor misericordioso e compassivo, cada um para com seu próximo; e não oprimais a viúva, o órfão, o estrangeiro e o pobre; ninguém planeje no coração atitudes malignas contra o seu irmão.”
* Salmo 82:3-4 (KJA): “Sede juízes para o desvalido e órfão, fazei justiça ao mísero e ao indigente; libertai o fraco e o pobre, livrai-os das garras dos ímpios!”
* Levítico 19:18 (ACF): “Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR.”
Embora seja verdade que os Estados Unidos não sejam uma versão reencarnada do antigo Israel, ambas as nações foram fundadas nos ensinos do Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Não consigo pensar em nenhuma outra nação na história do mundo que tivesse tido tal fundação.
Mas isso é tanto uma bênção quanto uma maldição. Israel foi julgado por não viver à altura desses ensinos. Os EUA também serão julgados.
Parece haver uma desconexão entre muitos cristãos e descrentes igualmente que sugere que a Bíblia é composta por dois conjuntos muito diferentes de ensinamentos — um no Antigo Testamento e o outro no Novo Testamento. Nada poderia ser mais distante da verdade. Juntos, eles representam uma mensagem completa sem nenhuma contradição. Deus é o mesmo ontem, hoje e amanhã.
Shalev afirma que antes de 1800, o Cristianismo nos EUA não era baseado “na fé em Jesus.” Ele sugere que é difícil imaginar agora. Certamente é. Exigiria muita imaginação. Os EUA foram fundados com um lema colonial: “Nenhum rei, exceto Jesus.”
Os Pais Fundadores dos EUA do século XVIII conheciam muito bem o Novo Testamento. A única diferença entre eles e os crentes de hoje é que eles estavam totalmente imersos tanto no Antigo quanto no Novo Testamento — reconhecendo que são inseparáveis e que não dá para valorizar o Novo Testamento de forma plena sem seu antecessor.
Traduzido por Julio Severo do artigo do WND: The New Testament vs. the Old Testament
Leitura recomendada:

6 comentários sobre “O Novo Testamento versus o Antigo Testamento

  1. Não é necessário ler o livro desse Senhor Shalev para saber que ele é, biblicamente falando, um grandíssimo gnorante. O que dá sentido ao Velho Testamento é Jesus Cristo com sua vida, morte ressurreição e sua elevação aos céus. A Bíblia inteira é Cristo Jesus.

  2. Muito bom o texto. E, observem que o autor se baseia na Almeida Corrigida Fiel e na Versao do Rei James (Tiago, em portugues). No Brasil, a ganancia e vaidade tem produzido versoes espurias da Biblia, tais como "Na linguagem (obscena)de Hoje", "Atualizada" (sic), "Viva" (sic, sic), "Texto Critico ("enxugada" – sic, sic, sic), e outras que estao a comer palavras, versiculos e, tudo isto nas barbas dos 'pastores", que nao zelam pela Palavra, que drah, pelas "ovelhas". Tamus no fim.Antonio.

  3. Se o antigo testamento fosse perfeito, ou melhor, se a antiga aliança fosse perfeita, não precisaria da nova, e tudo que é novo se faz velho, por isso temos uma nova aliança, e um novo testamento, somos aceitos pelo novo testamento, pela nova aliança, a antigo esta ligando ao novo apenas como sombra.

  4. Muita gente, ao falar sobre a Bíblia, só conhece o NT (Novo Testamento). Porém, alguns livros do AT (Antigo Testamento) têm tudo a ver com os do NT.Só citando alguns exemplos: o livro de Daniel (AT) é uma prévia do livro de Apocalipse (NT). Alguns versículos do livro de Isaías (AT) estão embutidos nos 4 evangelhos do NT.Jesus é o personagem central de toda a Bíblia (de Gênesis a Apocalipse). Não sei se vocês vão concordar comigo, mas, pra mim, o segundo maior nome da Bíblia depois de Jesus foi o do apóstolo Paulo. Tirando os evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas, e João), algumas epístolas (Hebreus, Tiago, Pedro, João, e Judas), e outros livros (Atos dos Apóstolos, e Apocalipse), quase todos os livros do NT foram escritos pelo apóstolo Paulo: Romanos, Coríntios (2), Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, Tessalonicenses (2), Timóteo (2), Tito, e Filemom (13 livros ao todo).Uma certeza eu tenho: toda a Bíblia é 100% perfeita. Tanto o AT quanto o NT são indispensáveis para sabermos o que Deus quer de nós.

  5. Jesus disse um novo mandamento:João 13:34 "Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros."e o Apóstolo João também falou em novo mandamento:I João 02:8 "Contudo é um novo mandamento que vos escrevo, o qual é verdadeiro nele e em vós; porque as trevas vão passando, e já brilha a verdadeira luz."Mas sim o novo mandamento não descumpre o velho mandamento mas vai além, nos faz amar o próximo não como nós nos amamos,mas como Jesus nos ama, e isso é novo, não está no Velho Testamento e sim no Novo Testamento.Mas se eu amar o meu semelhante como o Senhor Jesus me ama, eu cumpro o velho mandamento e vou muito além no amor ao próximo: amando-o como a mim mesmo emuito mais.Achei importante dizer isso, pois me parece que ficou de lado esse IMPORTANTÍSSIMO aspecto do amor, no Novo Mandamento, neste seu post Julio Severo.O que fiz é uma crítica construtiva apenas.Um forte abraço de quem te admira muitíssimo, Julio Severo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s