Vaticano sobre Israel: erros grosseiros

Vaticano sobre Israel: erros grosseiros

Julio Severo
Durante anos, tenho defendido a excelente postura do Vaticano sobre o aborto e o homossexualismo. Além disso, o Vaticano é a única instituição cristã grande que tem uma posição correta sobre a contracepção.
Contudo, quando toca no assunto de Israel, o Vaticano não demonstra a mesma excelência que mostra em suas posturas morais. Recentemente, o WND noticiou que o Cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho do Vaticano para a Cultura, comentou sobre o episódio recente em que, depois de receber uma chuvarada de mísseis, Israel atacou o agressor, o grupo terrorista Hamas. O cardeal criticou fortemente o povo judeu, dizendo: “Penso no ‘massacre dos inocentes’. Crianças estão morrendo em Gaza, os gritos de suas mães são incessantes e universais.”
O cardeal comparou a retaliação israelense em Gaza com a história no Novo Testamento onde bebês judeus foram assassinados por Herodes num esforço para matar Jesus.
Mas essa comparação é ridícula, pois em seus contra-ataques aos terroristas, Israel não mira especificamente crianças, porém sabe-se que os terroristas propositadamente se misturam em áreas com famílias e crianças justamente para tentar impedir Israel de atacá-los.
Será que o Vaticano acha que a chuvarada de mísseis palestinos tem como alvo terrenos baldios? São mísseis inteligentes que não acertam crianças israelenses?
O fato é que há registros de ataques terroristas palestinos específicos contra ônibus escolares de Israel. O alvo deliberado eram crianças. Mas nesses casos, o Vaticano nunca comparou a matança de crianças israelenses com o massacre de Belém.
No entanto, os erros grosseiros do Vaticano não terminam aí.
De acordo com NewsMax, o Vaticano saudou com alegria o fato de que em votação da semana passada, a ONU reconheceu um Estado palestino dentro do território que Deus deu aos descendentes de Abraão, Isaque e Jacó. Aproveitando a votação, o Vaticano pediu que Jerusalém fosse internacionalizada, tirando de Israel todo direito à sua eterna cidade.
No ano 2000, o Vaticano e a Organização para a Libertação da Palestina assinaram um acordo básico sobre Jerusalém, num esforço para quebrar o controle judeu sobre sua cidade. Os palestinos — que são majoritariamente árabes e muçulmanos — reivindicam Jerusalém como sua capital.
Para internacionalização: Vaticano ou Jerusalém?

Em 1980, Israel declarou Jerusalém sua capital “unida e eterna” — uma atitude que todo cristão deveria entender perfeitamente, pois a Bíblia que todos nós usamos é também o documento histórico universal que comprova Jerusalém e a Terra de Israel como herança e posse dos judeus.

O próprio presidente Ronald Reagan entendiaque Jerusalém não podia ser dividia, e que não pode haver um Estado palestino, porque um país palestino, na opinião dele, significaria o fim de Israel.
Nem todo católico acompanha o Vaticano nos seus erros sobre Israel. Geert Wilders, político católico holandês, é não somente um defensor de Israel, mas tem também denunciado, mediante seu vídeo Fitna, o terrorismo islâmico de uma forma que o Vaticano nunca fez. Seu vídeo está disponível aqui: http://youtu.be/3ShUH3qEDD4
Wilders não é o único católico pró-Israel. No Rio de Janeiro, conheci jovens católicos pró-vida que, como eu, defendem Israel.
Depois da recente chuvarada de mísseis que o grupo terrorista Hamas mandou sobre Israel, a vasta maioria dos países da ONU, inclusive o Brasil, votou para dar legitimidade a um Estado palestino que agride Israel, sob a saudação do Vaticano. É a própria ONU dando a mensagem de que o terrorismo compensa.
O Vaticano, que tem escolhido o caminho da excelência moral na questão do aborto e homossexualismo, cometeu o erro estúpido de saudar com alegria a oficialização de um estado terrorista. Será que deveríamos também saudar com alegria quando algum grupo terrorista também reivindicar o Vaticano?
Com relação ao pedido do Vaticano para que Jerusalém seja internacionalizada, por que o Vaticano não dá o exemplo e entrega todo o seu território para a internacionalização?
Tenho certeza de que os palestinos muçulmanos adorariam transformar a sede do Vaticano numa suntuosa mesquita e base de operações.
Leitura recomendada:

32 comentários sobre “Vaticano sobre Israel: erros grosseiros

  1. Irmão Julio, a paz do Senhor Jesus Cristo.É evidente que a Babilônia,hoje representada pela idolatria romana, JAMAIS apoiará o Estado soberano de Israel. Nunca apoiou , não apoia e nem apoiará, haja visto a participação direta do papa com os nazistas na segunda guerra e na eliminação do povo Judeu no holocausto.Pastor Caleb.

  2. Quão diferente da Idade de Ouro Medieval, quando os Papas com seus exércitos desfraldavam as bandeiras e bradavam as espadas das Cruzadas, para tomar Jerusalém dos pagãos e infiéis islâmicos. Após o chamado Concílio Pastoral ou Concílio Vaticano II, a igreja caiu, quase por completo, em mãos da maçonaria, protestantes tradicionais e socialistas. Em muitos assuntos, como o de Israel, a igreja, é hoje, comparada a um navio adernado em meio ao mar.

  3. É bom deixar claro que a palavra isolada de um bispo, de um padre ou de qualquer outro religioso ou leigo católico, não representa de fato, a palavra oficial do Vaticano, representado na pessoa do Papa, que por usa vez, quando externa a sua palavra, é feito por meio de um documento oficial, seja por Encíclica ou outro. A WND ou a NewsMax,não fazem parte dos meios de comunicação oficial do Vaticano, quando neste caso, servem apenas para espalhar boatos em forma de noticia. Caso alguém queira conhecer a opinião do Vaticano sobre qualquer assunto, que procure escutar a voz do Papa ou ler algum documento oficial do vaticano. hdnegildo@ig.com.br

  4. É BOM LEMBRAR e a história registra, que diversas Igrejas Protestantes nunca apoiaram Israel após 1947. O próprio Martinho Lutero, destilava ódio aos judeus e registrou isso em vários de seus escritos. Recentemente há um número cada vez maior de Igrejas Protestantes de diversas orientações e denominações, que manifestam-se, clara e raivosamente, em desfavor do Estado de Israel. Movimentos ativistas de protestantes contrários a Israel e favoráveis aos terroristas islâmicos, pululam pelos EUA, Canadá e Europa. Tais casos são fartamente noticiados, também, aqui neste mesmo Blog.Geraldo Barroso – MG

  5. Júlio, você não precisa ficar afagando católicos, mesmo reconhecendo que estejam corretos em suas posições sobre homossexualismo e aborto. Não adianta ter uma atitude correta em algumas questões terrenas, mas espiritualmente estar sob controle do diabo. Católicos são idólatras, o que é também um pecado abominável diante de Deus. Eles não podem combater o mal estando sob domínio do mal. Idolatria abre brechas para os demais pecados. Por isso mesmo, a maioria dos católicos no Brasil por exemplo são de inclinações esquerdistas. Você mesmo mencionou num de seus artigos recentes que a mudança de tendência política nos USA se dá por conta da influência de imigrantes latinos, que são em sua maioria católicos. Contar com católicos como aliados na luta contra o abortismo e movimento gay é algo no mínimo inócuo, pois esta luta se dá acima de tudo no plano espiritual. Além disso, pouco podemos fazer. Não podemos mudar a situação, o que podemos é resgatar almas e traze-las para o barco da salvação antes que pereçam no redemoinho do inferno. Todos esses fatos estão ligados ao iminente aparecimento do Anticristo e do advento do arrebatamento da Igreja, e consequentemente o início da "Tribulação, A Grande" (como a ênfase no original grego). As vitórias que podemos alcançar aqui são primeiramente decretadas no céu. E idólatras são impedimento para isso. O nosso aliado é o Senhor Jesus, e com Ele certamente ainda existem pelo menos sete mil verdadeiros crentes no mundo que não se dobram a Baal.

  6. O Sr. Geraldo Barroso, que evidentemente é católico, tem a atitude muito comum de tentar se limpar, ou limpar aqueles a quem defende, na sujeira dos outros. As igrejas que ele mencionou, que se omitiram e ainda se omitem em relação a Israel, são justamente igrejas frias, as chamadas tradicionais: Luteranas, presbiterianas, metodistas, etc. geralmente seguidoras das doutrinas calvinistas, que não crêem na atualidade dos dons do Espírito Santo, não crêem em milagres, e como consequencia sucumbem facilmente ao mal. São as mesmas igrejas que hoje aceitam "casamento" gay, aborto e outros pecados. Essas igrejas eram maioria na Alemanha durante a ascenção do nazismo, e não tiveram nenhuma força para combatê-lo. Como poderiam ter sem o poder do Espírito Santo? Portanto, Sr. Geraldo, não tome como referência maus exemplos de "crentes" que não seguem a verdadeira e sã doutrina bíblica para tentar justificar os erros de seu adorado Vaticano.

  7. Raro são os blogueiros protestantes que não se vergam a posições míopes e estereotipadas. Quando abres espaço para mostrar que não julgas o próximo com a trave nos olhos, mostra-te que também não empurras a sujeira protestante para debaixo do tapete. Os comentários católicos aqui demonstrados contrastam em coerência, profundidade e justiça e não em ataques verborrágicos rasos, muito próprio de quem desconhece até mesmo o que vem a ser espiritual. Eu apoio Israel!Cordialmente,Reginaldo Fernandes da Silva/ES

  8. Gente, quero deixar claro, em resposta a um comentário acima, que não acredito que a idolatria seja um problema apenas católico. Conheci evangélicos que davam prioridade às novelas da Globo, em detrimento de leituras da Bíblia, oração particular e frequência ao culto na semana. Cada capítulo da maldita novela indecente era para eles mais sagrado do que as coisas de Deus. Para mim, isso também é idolatria.

  9. Meu amado irmão Júlio, naturalmente concordo plenamente que idolatria não é somente adorar criaturas como se fossem o Criador ou usar imagens. Idolatria é um pecado com milhares de faces, em resumo é tudo que se põe na frente de Deus. É ignorar nosso dever absoluto de honrar ao Senhor em qualquer circunstância. Existem casos assim até mesmo dentro das igrejas mais fiéis. Em todos os lugares o Senhor disse que um subirá e o outro será deixado (Mt 24.40)."Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem." Mt 7.13,14O mal sempre ataca por vários lados. Ao mesmo tempo que as igrejas evagélicas pentecostais têm se mostrado desde o ínicio do século XX um avivamento poderoso para combater o mal e resgatar as raízes da Igreja primitiva, em contraste com a frieza e mundanismo das tradicionais, tem havido uma proliferação muito grande de denominações supostamente pentecostais. A apostasia profetizada em II Tessalonicenses 2.3 não se restringirá a nenhuma denominação específica, e até mesmo entre as igrejas originalmente fiéis já estão acontecendo desvios doutrinários, morais e muito escândalos. Um exemplo bem típico e recente foi a do Pr. Samuel Câmara, presidente da Assembléia de Deus em Belém-PA, o berço de todas as Assembléias de Deus no Brasil, que pôs a sua cara-de-pau na TV para apoiar o candidato do PSOL à prefeitura de Belém, que graças a Deus foi fragorosamente derrotado. Não é preciso ser católico e automaticamente "excomungado" por bula papal para estar fora da salvação quando se apóia os servos de Satanás: comunistasVide no YouTube:http://www.youtube.com/watch?v=9sjdYn0O2B4http://www.youtube.com/watch?v=A-q8qpa–O8Meu Senhor Jesus!!! Ser um pastor e chegar a esse ponto é estar muito perto do que diz Hebreus 6.4-6, se é que ainda não chegou a isso.Nem é preciso citar apóstatas repulsivos como o "Bicho" Macedo, da IURD, tão notória é a total ausência de moral nessa criatura.A omissão e até mesmo a traição a Israel é um fato previsto há milhares de anos, em profecias fartamente divulgadas e disponíveis na Palavra de Deus. É bom comentar sobre o assunto para alertar almas para que estejam vigilantes, atentas aos sinais das estações. Mas não tenhamos a vã esperança de que as coisas mudem para melhor por enquanto, não antes da vinda de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

  10. Sou católico e concordo com Júlio Severo. Israel e Jerusalém são pátrias dos judeus. A terra indicada por Deus ao seu povo no Antigo Testamento. Essas posturas heterodoxas do Vaticano também é reflexo das consequências do controverso Concílio Vaticano II, como disse, o próprio Papa Paulo VI alguns anos após o concílio: "Por alguma brecha a fumaça de Satanás entrou no templo de Deus: existe a dúvida, a incerteza, a problemática, a inquietação, o confronto. " Seriam esses os resultados dessa maior "abertura ao mundo" como uma filosofia do Vaticano II? Entre os possíveis benefícios que o concílio procurava almejar, vieram também os malefícios, e a "fumaça de Satanas" adentrou por alguma fissura, como foi sua percepção?

  11. Júlio, uma vez no True Outspeak ouvi o depoimento de um rapaz que estava buscando de Deus discernimento sobre o que está acontecendo no mundo, relacionado ao movimento gay, aborto etc. Ele disse que em sonho ouviu uma voz dizendo: Júlio SeveroEsse rapaz acordou intrigado sobre de quem era esse nome,já que nunca tinha ouvido falar. E pesquisando na web encontrou você, que foi um meio de esclarecimento para as dúvidas que ele tinha.Creio que esse testemunho confirma a unção de Deus na sua vida. Lembro de você em minhas orações, e clamo a Jesus pelo seu livramento de perseguições e pela sua recompensa.Falando em revelação, que como pentecostal que sou eu CREIO quando são confirmadas por Deus, as manifestações verdadeiras dos dons do Espírito Santo no seio da Igreja é uma coisa cada vez mais rara. E esse alimento espiritual é fundamental para que o Corpo de Cristo esteja forte o bastante não somente para se manter de pé como para cumprir o Ide.É maravilhoso ver exemplos de servos do Senhor sendo usados em poder para combater e derrotar o inimigo como o caso daquele pastor africano repreendendo os feiticeiros. Alías, os africanos geralmente são crentes fervorosos e sinceros, e muito usados por Deus. Eles são muito gratos a Deus por terem sido tirados do abismo das trevas, coisa que a maioria dos brasileiros jamais experimentou com a gravidade que eles já experimentaram.Veja este maravilhoso testemunho de cura pelo poder de Deus:http://www.youtube.com/watch?v=TY-ZwMPcSv4Eu já testemunhei pessoalmente muitas revelações verdadeiras, "bem na mosca" como se diz, já fui curado de enfermidades através de orações, e já testemunhei muitas curas. Isso é que me mantém vivo e capaz de suportar a pressão de ver os horrores destes ultimos tempo, crendo na nossa Esperança e Salvador.Por último, tenho algumas vezes meditado sobre uma relação que há entre II Tessalonicenses 2.11 (a operação do erro) e I Reis 22.1-28 (a aliança de Acabe com Josafá e a morte de Acabe). Medite nessa palavra, eu creio que ela contém respostas para entendermos como acontece a apostasia destes dias.Abraços e a Paz do Senhor Jesus!

  12. Soldier, Seus palavrórios são pra lá de patéticos. Tire as ceras dos ouvidos e dos neurônios. Pelo visto prefere "coar mosquitos e engolir camelos". Lê e entende muito mal o comentário dos outros. Aprenda a ler a Bíblia (que a Igreja Católica te legou) pela óptica de Deus e não pelas lentes de seus próprios olhos farisáicos.Lucas 9; LVGeraldo Barroso – MG

  13. Roberto, não quero ser presunçoso e arrogante, mas gostaria de lhe apresentar um ponto de vista sobre as razões pelas quais a fumaça de Satanás entrou pela brecha no templo. Me perdoe se dessa forma eu estiver questionando seus fundamentos de fé. A Verdade é soberana, não pertence nem a mim nem a você. A questão é qual de nós reconhece a verdade tal como ela realmente é, se nós ambos ou se um dos dois. Como diz o velho Olavo, 2+2 só pode resultar em 5. O que importa é conferirmos a equação correta.O problema é que essa brecha é muito mais profunda, vai muito além do Concílio Vaticano II. Quero dizer que os fundamentos doutrinários nos quais se apóia o Vaticano desde que o catolicismo romano existe contêm intrínsecamente essas brechas. Quando me refiro a idolatria em minhas postagens anteriores, essa palavra pode soar dura, ofensiva e desagradável. Infelizmente para estar explícitamente de acordo com a posiçao bíblica sobre o assunto, tenho que usar esse termo.Prestar culto a qualquer ser que não seja o próprio SENHOR, no Pai, Filho e Espírito Santo, ofende a Deus por se estar tentando equiparar uma criatura aos atributos exclusivos do Criador, as quais são onipotência. onisciência e onipresença.Inevitávelmente esse é o resultado da ação de se prestar culto a Maria, mãe carnal de Jesus, mesmo que esse culto esteja transfigurado na palavra veneração.Nenhum ser é digno de adoração e veneração que não seja Deus.Em Apocalipse 22.8,9 quando o apóstolo João prostrou-se diante de um anjo, recebeu uma repreensão:"E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava para o adorar. E disse-me: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. ADORA SOMENTE A DEUS."Em Isaías 42.8 consta: "Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, não darei a ninguém, nem o meu louvor às imagens de escultura"Em 1 Timóteo 2.5 está escrito: "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem."Um mediador (ou intercessor) espiritual precisa possuir em Si a natureza divina da ONISCIÊNCIA, ONIPOTÊNCIA E ONIPRESENÇA para que possa receber as orações e conhecer os pensamentos de milhões de pessoas ao mesmo tempo. E isso ninguém tem a não ser o Pai, Filho e Espírito Santo.A oração intercessória dos santos se dá num plano terreno, onde os servos de Deus pregam a Palavra, aconselham, exortam ao arrependimento e clamam ao Senhor misericórdia para os pecados e auxílio nas dificuldades. É um testemunho pessoal que pode ser visto e ouvido pelas pessoas.Como está escrito em Tiago 5.16"Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo muito pode em seus efeitos."Deus atende especialmente aos seus servos e não recebe as orações de pessoas que vivem em pecado e não se arrependem. Entretanto, se um justo orar pelo pecador, o Senhor pode atender a oração para mostrar a quem e porque Ele atende, e assim dar uma chance ao pecador de seguir o exemplo de vida do cristão fiel e verdadeiro.Jó 42.8 "…e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa loucura; porque vós não falastes de mim o que era reto como o meu servo Jó."Estes princípios, eu afirmo, o Vaticano fere em suas doutrinas. Aí estão as brechas para o mal.Julgue conforme a sua consciência e discernimento. Abraços e que Deus lhe abençoe.Meu email para contato é soldier.of.freedom@gmail.com

  14. CORREÇÃO: Eita, quando escrevemos de improviso e sem revisão às vezes cometemos erros que nos deixam encabulados. Na postagem anterior eu quis dizer: Como diz o velho Olavo, 2+2 só pode resultar em 4, e não em 5. O que importa é conferirmos a equação correta

  15. Não desejo ser prolixo nesse assunto, mas gostaria de acrescentar mais algumas observações sobre o tema das "brechas" por onde o mal atua sobre o Vaticano, conforme escrevi na postagem anterior, em resposta à postagem de Roberto.Bem, como eu disse, um pecado abre brechas para outros. E por mais que católicos professem o cristianismo, suas crenças absorvem práticas que contradizem princípios bíblicos fundamentais, como a exclusividade de culto a Deus, e a completa impossibilidade de seres criados por Ele serem capazes de interceder pelos homens fora do plano terreno.Crer em uma doutrina errônea compromete a situação espiritual do homem, por mais que esta crença tenha a mais bem intencionada e sincera disposição de coração. Sinceridade não substitui a verdade.Analisemos o fato de que se o culto a Maria e aos santos não estivessem em franca contradição com a Bíblia, certamente uma questão dessa relevância para o credo católico estaria mencionada explícitamente nas sagradas escrituras.Os autores dos evangelhos e das epístolas teriam escrito, inspirados pelo Espírito Santo, recomendações especiais em relação a Maria, uma vez que hoje o fenômeno ocorrido em Fátima é considerado algo de proporções seríssimas, ao ponto de ser um mandamento reconhecido pelso católicos a consagração da Rússia ao sagrado coração de Maria, sob pena de desastrosas consequencias no caso de descumprimento. Um acontecimento desse vulto estaria certamente previsto pelo zelo do Altíssimo, e haveria mandamentos bem claros na Bíblia.Mas a Bília menciona de forma sucinta a mãe de Jesus, em poucas passagens. O que ocorre é que existem interpretações forçadas do texto bíblico para amparar as crenças romanistas.Sobre o suposto legado de Jesus para que Maria fosse a mãe da Igreja, pode-se analisar cuidadosamente o texto E O CONTEXTO do evangelho.João 19.26,27“Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.”Qual o significado disso?Primeiramente consideremos que com base em evidências do texto bíblico Jesus não foi o único filho de Maria. Ele foi PRIMOGÊNITO, o que significa PRIMEIRO FILHO. Não se diz primeiro para aquele que é único,como é o caso do UNIGÊNITO de Deus.Em Mateus 1.24,25"E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; E NÃO A CONHECEU ATÉ QUE DEU À LUZ SEU FILHO, o PRIMOGÊNITO; e pôs-lhe por nome Jesus.""ATÉ QUE" é uma preposição e um advérbio que indica uma situação temporária, bem diferente do advérbio de tempo "NUNCA", "JAMAIS"

  16. Vejamos também João 7.3-5"Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo. Porque nem mesmo seus irmãos acreditavam nele."Que irmãos eram esses que não acreditavam em Jesus? Logicamente não poderiam ser os apóstolos nem os discípulos ou qualquer dos seus seguidores. Um presumível argumento de que “eram os apóstolos que ainda não acreditavam em Jesus” seria desonesto e absurdo, posto que desde os primeiros contatos os apóstolos reconheceram que Jesus era o Messias.Agora voltemos para João 19.26,27Quando Jesus disse à Maria “Mulher, eis aí o teu filho” e depois disse a João “Eis aí tua mãe”, estava providenciando os cuidados de Maria nas mãos do apóstolo, justamente porque naqueles momentos difíceis da morte dEle sua mãe precisava do amparo de alguém que estivesse espiritualmente preparado para cumprir essa missão.Os próprios irmãos de Jesus até então eram descrentes e não seriam as pessoas mais indicadas para cuidar da mãe numa situação tão aflita e cheia de dúvidas. Os irmãos de Jesus só se converteram depois da ressurreição, entre eles o apóstolo Tiago, como indica o relato do apóstolo Paulo em Gálatas 1.19“E não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.”Que significado teria a ênfase em “irmão do Senhor”, se todos os apóstolos naturalmente eram irmãos na fé?Além desse indicativo no próprio texto bíblico, um achado arqueológico recente foi uma lápide de Tiago, onde está escrito em aramaico "Yaakov bar Yussef akhui di Yeshua" (Tiago, filho de José, irmão de Jesus). O achado foi analisado na Universidade Hebraica de Jerusalém, e pelo contexto histórico investigado as probabilidades apontam que não haveria outra pessoa com nome de Tiago, que fosse filho de um José e tivesse um irmão chamado Jesus (Yeshua) de tal importância que merecesse uma citação bastante incomum de seu nome na sepultura.Em Atos 1.12-14 está escrito:"Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado. E, entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam PEDRO e TIAGO, JOÃO e ANDRÉ, FILIPE e TOMÉ, BARTOLOMEU e MATEUS, TIAGO, filho de Alfeu, SIMÃO, o Zelote, e JUDAS, irmão de Tiago. Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria mãe de Jesus, E COM SEUS IRMÃOS.""E COM SEUS IRMÃOS" – Todos os apóstolos são citados nessa passagem. Quem mais poderiam ser os irmãos de Jesus?

  17. Resumindo,Nenhuma mulher desde a criação teve o privilégio de Maria por ter sido escolhida para dar à luz ao Verbo Eterno que se fez homem. Mas, podemos perguntar: Por que Deus escolheu a Maria? Primeiro, a condição imprescindível era o cumprimento da profecia de que o Messias viria da raiz de Jessé, pai de Davi (Isaias 11.1-10). Maria era descendente do Rei Davi pela linhagem de Natã e José seu marido, também era descendente de Davi (Mateus 1.20), pela linhagem de Salomão.Isso explica a diferença de nomes entre Mateus e Lucas. Em Mateus, que apresenta a genealogia em ordem descendente o texto é "JACÓ GEROU A JOSÉ, MARIDO DE MARIA", já em Lucas que apresenta a ordem ascendente lê-se "JOSÉ FILHO DE ELI". Afinal, José era filho de Jacó ou de Eli? Na cultura judaica o homem representava a casa, e no texto de Lucas, José é apresentado como filho de seu sogro, conforme a tradição hebraica.Uma curiosidade interessante é que a cultura anglo-saxônica absorveu de tal forma os valores judaico-cristãos que em inglês a palavra sogro é father-in-law (pai na lei)Assim sendo, Jesus era descendente sanguíneo de Davi através de Maria e descendente legal através de José.O fato de que Deus escolheu a ambos para serem pais de Jesus Cristo Homem, indica que eles eram as melhores escolhas entre os descendentes de Davi na época do nascimento do Senhor. Certamente isso tem a ver com suas condutas e caráter.Maria e José foram eleitos para participarem do maior propósito da obra de Deus, a Redenção. Mas a obra é de Deus, e isso não faz de Maria ou qualquer outro ser humano dignos de adoração, louvor e todas as honras devidas exclusivamente a Deus. Dizer que veneração é diferente de adoração é uma distorção da palavra e dos fatos, uma vez que prestar culto e fazer orações já são em si atos de adoração.

  18. E não é que no curso pre vestibular o professor de história falou sobre esse assunto? Nas palavras dele ele é contra Israel e a favor da Palestina. Meu professor é daquele tipo de pessoa que gosta de a última palavra numa argumentação, mas na hora que eu falei que Israel nunca perdeu para a Palestina e nem vai perder nunca, pois é bíblico, ele ficou calado.———————————-Creio que todo o historiador, no fundo no fundo, sabe que TUDO QUE EXISTE NA BÍBLIA É REAL. O fato deles estudarem passado, futuro e presente faz eles verem que todas as citações DA PALAVRA DE DEUS se cumpriram e estão a se cumprir…

  19. Júlio, todos os Católicos que conheço assim como eu defendem todas as ações de Israel. Tenho certeza que também o Papa tem a mesma reverência sobre o povo escolhido. Tanto é que temos profecias sobre a segunda vinda de Jesus somente após a conversão do povo Judeu(como os Judeus Messiânicos). Infelizmente hoje a Igreja Católica está doente, pois foi invadida por uma câncer pernicioso chamado de Teologia da Libertação, que corrói e desvirtua a Igreja através de seus bispos e cardeais vermelho(marxistas), falando besteiras como estas que você citou. Estes marxistas estão alinhados com esta corrente midiática da nova era à serviço do anti-cristo, e entre suas metas está a destruição de Israel. O Papa Bento XVI é o último Papa de acordo com inúmeras profecias, e o próximo será o anti-papa destruidor da Igreja Católica(com certeza sairá dentre estes marxistas que estão tomando o Vaticano).

  20. Com relação ao comentário acima muito lúcido do Julio Severo, eu quero acrescentar que além de idolatria (como entendem os evangélicos) é burrice e ociosidade gastar o tempo em assistir novelas e outros programas imbecis da TV.

  21. Caro Júlio Severo e demais irmãos protestantes,Perdoem-nos a nós, católicos, que, em matéria de política, somos tão vulneráveis e passíveis de juízos equivocados como qualquer um de qualquer outra religião.Embora seja defensor de Israel, não posso concordar com o fato de que, mesmo tendo sido atacado por covardes comunistas e supostamente religiosos muçulmanos, Israel, sabendo que os covardes se escondem junto à população palestina, ainda assim desfira ataque aéreo. Com isso quero dizer que não se deva revidar? não. Penso que uma investida terrestre para arrancar o hamas e toda a corja terrorista da Palestina seria mais justo. Se isso é viável, não sei, mas Israel deveria, com ou sem apoio dos EUA, invadir o território Palestino e tomar posse de sua terra. Os próprios órfãos e viúvas palestinos agradeceriam se alguém fosse lá e tirasse aqueles revolucionários de lá.Discordo igualmente e com veemência do status de observador concedido ao "Estado Palestino", e acho que o fato do nosso Vaticano ter acenado de forma positiva a isso é, no mínimo, decepcionante. Mas discordo também com a mesma veemência que isso coloque em xeque a confiança que devemos depositar na ação de Deus na Igreja.Nós, Católicos, Judeus, Protestantes, Conservadores, crentes ou não, devemos nos unir contra o mal representado historicamente nas ideologias totalitaristas e não uns contra os outros. Depois que acabarmos com o socialismo, voltaremos às discussões teológicas.

  22. Sinceramente,Acompanho quase que diariamente o Julio… É um homem instruído que dá gosto de ler cada post. Porém, todas às vezes que tenta tecer críticas sobre a Igreja Católica, fa-lo com uma falta de inteligência que perturba a mente.Fala de "a posição do Vaticano sobre", "a idolatria católica", e etc…Quê que é isso?Parece os atuais protestantóides neo-pentecas que acusam, acusam e não tem amor à verdade.Pelo amor de Deus. Vamos estudar um pouco.Há argumentos aos lotes, que qualquer um, desde um iniciante nos estudos cristãos (que procurem argumentos de internet) ou Pós-docs como Thomas Woods, Roman Konik, Diane Moczar… pra ficar por aqui, que conseguem bailar sobre esses ataques no âmbito filosófico, histórico e teológico, por uma simples razão:A Igreja não erra (Efésios 5, 27).É preciso entender e discernir entre a pessoa (a Igreja) e o pessoal da Igreja (os membros). Ela é constituída pelo que é certo, doutrinária e moralmente. A Igreja é o suporte da verdade perene (1 Tm 3, 15).O erro de um membro o vai afastando da Igreja automaticamente, pois ela, sendo o Corpo de Cristo, não contém falha ou pecado. Mas o membro que errou passa a ser uma chaga, uma ferida, sem prejudicar a santidade de Cristo e Seu Corpo.Etc. Etc. Etc.Julio, cuidado. Seus leitores não são somente protestantes.Há evangélicos também.Um abraço.Carlos Silva – AM

  23. Ola Júlio;Lister Leão,Concordo com você, minhas diferenças teológicas com os católicos eu discuto com os meus amigos, vizinhos e colegas de trabalho católicos, mas quando o assunto é combater a "doutrina do socialismo cultural", o comunismo e o esquerdismo eu estou junto de todos, sejam católicos, evangélicos, espiritas, etc., pois se o objetivo do meu inimigo é destruir a todos, porque ficarmos debatendo diferenças teológicas nesse espaço livre e de defesa dos valores de liberdade que interessa a todos nós; Vamos nos unir e diferenças teológicas a parte faremos uma grande multidão de mais de 97% de brasileiros e comecemos a gritar aos esquerdistas: Ei estamos aqui e não concordamos com vocês; Ei estamos aqui e vamos dar trabalho para vocês nos destruir; EI ESTAMOS AQUI E 2014 ESTA BEM ALI.Meu lema é: O BRASIL É LAICO, MAS MEU VOTO NÃO, O BRASIL É LAICO, MAS MEU VOTO É CRISTÃO, que tal algumas camisetas com esse lema começar a circular Brasil a fora?Valeu Lister Leão, estamos junto nessa, se te encontrar em teologia a coisa pega, mas em questão de valores e princípio cristão sei que somos UM.

  24. Meu caro Julio Severo,Eu admiro muito a sua postura com relação a diversos temas aos quais nós, conservadores, temos constantemente nos posicionado de maneira veemente – ativismo gay, revolução cultural, degenerescência moral, dentre outros –, mas sou obrigado a discordar de muitas das coisas que você escreveu em seu texto. Espero poder explicar bem em que medida discordo de algumas de suas colocações. Em virtude de nosso posicionamento teológico distinto, abordarei somente as questões temporais em seu texto.Em primeiro lugar, o Cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho do Vaticano para a Cultura, não possui autoridade para emitir uma declaração em nome da Santa Sé, nem ele próprio evocou tal autoridade quando emitiu sua declaração. Todas as declarações do Cardeal Ravasi só podem ser tomadas como opiniões pessoas dele próprio. A posição oficial da Santa Sé só pode ser determinada por sua autoridade máxima, o Papa Bento XVI, ou emitida por algum de seus órgãos de governo que possuam autoridade delegada pelo Sumo Pontífice para tal. Ademais, “o Vaticano nunca comparou a matança de crianças israelenses com o massacre de Belém”, assim como nunca fez tal comparação acerca dos ataques israelenses contra seus inimigos.Mais adiante, você coloca:«De acordo com NewsMax, o Vaticano saudou com alegria o fato de que em votação da semana passada, a ONU reconheceu um Estado palestino dentro do território que Deus deu aos descendentes de Abraão, Isaque e Jacó. Aproveitando a votação, o Vaticano pediu que Jerusalém fosse internacionalizada, tirando de Israel todo direito à sua eterna cidade.»Pesquisando na internet, consegui localizar a íntegra do comunicado oficial da Santa Sé a esse respeito (http://www.news.va/en/news/the-holy-see-welcomes-with-favour-the-decision-of), e devo dizer que o site NewsMax está bastante equivocado. Extraí alguns excertos do texto para ilustrá-lo de maneira clara, e reproduzo-os abaixo.«The Holy See considers, moreover, that today’s vote should be placed within the context of the efforts of giving a definitive solution, with the support of the international community, to the question already dealt with by Resolution 181 of the General Assembly of the United Nations of 29 November 1947. That document is the juridical basis for the existence of two States, one of which has not been constituted in the successive sixty-five years, while the other has already seen the light.»A Santa Sé considera o resultado da votação como um passo importante se, e somente se, for considerado dentro do contexto de uma solução de dois Estados, conforme estabelece a Resolução 181 da ONU.«At the same time, it is the conviction of the Holy See that this result does not constitute, per se, a sufficient solution to the existing problems in the Region: which, in fact, can only find an adequate response through the effective commitment to building peace and stability, in justice and in the respect for legitimate aspirations, both of the Israelis and of the Palestinians.»Aqui está um exemplo de que a Santa Sé não abraçou a votação da maneira entusiástica e ingênua que se tenta colocar. É fato que o Vaticano vê com bons olhos o resultado da votação, mas não enxerga nela uma solução para o problema: a solução ocorrerá quando houver um acordo sólido para a construção de paz e estabilidade – algo que, nós dois sabemos, depende hoje quase exclusivamente da extinção do terrorismo islâmico tão caro às “autoridades” palestinas.Quanto ao acordo firmado entre a Santa Sé e a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) em 15 de fevereiro de 2000, ele não representa nenhum “esforço para quebrar o controle judeu sobre sua cidade”. Para constatar o equívoco dessa informação, bastaria consultar o teor do documento original, que está disponível no site da Santa Sé (http://www.vatican.va/roman_curia/secretariat_state/2000/documents/rc_seg-st_20000215_santa-sede-olp_en.html).

  25. Anônimo VaticanLeia os requisitos para fazer cobranças neste espaço: apresentação do perfil oficial.É certo que o cardeal não é o papa, mas sua posição de presidente do Conselho do Vaticano para a Cultura dá muita autoridade nas opiniões que ele expressa.Se um ministro do governo brasileiro ou americano emite uma opinião discordante do presidente, Dilma ou Obama tem a autoridade de dizer publicamente que esta não é a posição do governo brasileiro ou americano.O Vaticano é também um governo. Se o tal cardeal emitiu a opinião e não houve condenação oficial do Vaticano, a opinião dele fica. Você, como anônimo, pode pensar ou despensar o que quiser, mas fatos são fatos.Quanto à sua tentativa de dizer que NewMax errou, eu aponto para o fato óbvio de que a solução de dois estado, ou qualquer posição parecida, não é e nunca foi posição conservadora. Nisso, Ronald Reagan estava certo, e o Vaticano já estava errado.Só entrei no assunto por causa da gravidade. Se o Vaticano não tivesse concordado com a declaração estúpida do cardeal, teria no mínimo condenado.Afinal, é verdadeiro que quem cala consente.

  26. Reposta para GiovaniVocê que me acusa de ter sido "usado pelo diabo", está seguindo os mandamentos de um dileto filho de satanás, Vladimir Lenin, o qual dizia: "Xingue-os do que você é, acuse-os do que você faz.".Quando me atribui o pecado do orgulho, é justamente a sua soberba que lhe leva a defender cegamente seu "time" e fazer vistas grossas para a iniquidade que devasta espiritualmente várias congregações da sua mesma denominação pelo mundo.Bem, para esclarecer o que eu escrevi sobre igrejas presbiterianas, cito um artigo que o Júlio publicou no endereço abaixo sobre uma situação bastante bizarra, aliás repulsiva:Maior denominação presbiteriana dos EUA cada vez mais apoiando “casamento” gay(http://juliosevero.blogspot.com.br/2012/10/maior-denominacao-presbiteriana-dos-eua.html)Lindo o testemunho desses presbiterianos, não?A situação da Igreja Presbiteriana no Brasil não é a mesma, graças a Deus, pois as suas lideranças têm se posiocionado contra o "casamento" gay e a PLC 122.Mas quando faço críticas ao presbiterianismo é em relação à doutrina CALVINISTA adotada por essa denominação e os frutos dessa doutrina, e não em relação a congregações e pessoas de forma generalizada e indiscriminada.Calvinismo é um DESVIO do entendimento verdadeiro da sã doutrina da Palavra de Deus. Se no Brasil o efeito desse desvio não tem produzido resultados tão graves como nos EUA, é bom cuidar para que não se chegue a esse ponto.Inclusive, se hoje lidamos com a ameaça da PLC 122, da lei anti-palmada e outras insanidades, vale lembrar que foi João Calvino quem inaugurou a prática do controle estatal sobre a vida privada, na época que impôs sua ditadura sobre a Suíça, contrariando os princípios bíblicos. O calvinismo debilita espiritualmente as igrejas que o adotam, pois rejeita a atualidade do dons do Espírito Santo, arma indispensável para a sobrevivência e a obra da Igreja, e crê numa "elite" de crentes predestinados à salvação, pela doutrina da predestinação de pessoas. Essa crença é derrubada por um entendimento lúcido e honesto do texto e contexto de 1Tm 2.1-8 que afirma que é desejo de Deus que todos os homens arrependam-se e sejam salvos, assim como em Hb 6.4-6 fica claro que a salvação pode ser perdida, no caso de apostasia pessoal, que significa a blasfêmia contra o Espírito Santo.Deus não "carimbou" arbitrariamente pessoas para a salvação ou perdição. Acaso o Senhor teria "programado" pessoas para serem pecadoras e irem pro inferno?São idéias movidas pela soberba, concebidas para tentar justificar a frieza espiritual (rejeitando os dons do Espírito) e ao mesmo tempo assegurar que nessas condições a pessoa ainda tem a salvação garantida.É como se alguém dissesse: "Ah, nunca vi milagres acontecerem, nunca aconteceu comigo. Então se isso existe, é coisa do passado. Mas o que importa é que eu sou um predestinado."Essa debilidade leva não somente à incapacidade de combater com eficácia as ciladas do diabo, como também leva o próprio crente espiritualmente "anêmico" a cair nessas mesmas ciladas. Os exemplos de calvinistas que servem de escândalo não são poucos.É o caso por exemplo dos blogueiros do site pseudo-cristão e esquerdista "Genizah". O nome deveria ser GENIZAR, verbo que descreveria a ação da personagem "Geni", da letra da música "Geni e o Zeppelin" de Chico Buarque.São calvinistas até a medula, e se julgam verdadeiros querubins, exemplos sublimes de santidade.Essa é a "safra" gerada pelo calvinismo.Mateus 7.16 "Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?"

  27. A Paz de Jesus meus amigos, antes de mais nada eu gostaria de colocar que a visão da igreja é instituida pelo papa atraves das enciclicas e cartas, que mostram o que realmente a IGREJA ensina, existem varios padres, bispos ou leigos que retratam pontos de vistas, ponto de vista hereticos ou seja vai contra a doutrina cristão, por exemplo negar a ressureição de cristo, heresia, sendo assim, estas diversas opinioes não tem valia, e sim o que o papa atraves dos seus documentos.

  28. e outra coisa meu amigo, o assuntos chegou a idolatria, "catolicos são idolatras" esse papo já passou, e continua o mesmo bla bla bla…vou ser bem claro, poderia acabar com todos os bonecos de gesso, as estatuas de santos, Maria, enfim..a idolatria NUNCA IRIA ACABAR!!!esses não são os motivos…Idolatria é colocar algo no lugar de Deus, por exemplo um pastor é casado tem uma mulher, essa sua mulher esta sendo colocado no lugar de Deus ou sendo reflexo de deus na vida dele???o carro?a casa? o emprego..tudo pode ser idolatria…se estiver sendo colocado no lugar de Deus, e isso ter mais valor que deus, isso é idolatria…a imagem do sao francisco de assis por exemplo, este retrata o exemplo da sua vida, mesmo com suas limitações procurou viver a santidade no maximo, atraves disso a imagem é ICONE ou seja, atraves dele vemos a beleza de Deus, a grandeza de Deus, esta imagem ou a pessoa de forma alguma substitui a Deus e sim, serve de exemplo santificação(ser santo=ser justo, assim como no antigo testamento) ou seja, reflexo de deus na vida dele….

  29. e antes que eu me esqueça, só pra finalizar.O grande físico Albert Einstein manifestou sua admiração pela Igreja católica, dizia: “Só a Igreja se pronunciou claramente contra a campanha hitlerista que suprimia a liberdade. Até então a Igreja nunca tinha chamado minha atenção; hoje, porém, expresso minha admiração e meu profundo apreço por esta Igreja que, sozinha, teve o valor de lutar pelas liberdades morais e espirituais”. (Albert Einstein, The Tablet de Londres).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s