Onde está Deus nos desastres naturais?

Onde está Deus nos desastres naturais?

Onde estava Deus quando a Supertempestade Sandy golpeou a costa leste dos EUA, matando e causando destruição que ficaram na história? E onde estava Deus em 2011 quando o tsunami e o terremoto mataram mais de 200 mil pessoas no Japão?
Furacão Sandy

No rastro de tal incrível perda e desastre, lutamos para entender como um Deus que é todo-poderoso e onisciente pode também ser considerado bom e amoroso. O pastor e professor Erwin Lutzer tenta resolver esse difícil assunto de frente em seu livro “Where Was God?” (Onde Estava Deus?).

“A questão dos desastres naturais é importante”, disse Lutzer numa entrevista por telefone no ano passado. “A Bíblia realmente registra casos de desastres naturais”. Durante nosso debate, Lutzer respondeu a várias perguntas que estão detalhadas em seu livro.
Pergunta: Por que Deus permite desastres naturais?
Lutzer:Uma coisa que precisamos recordar é que o mundo está caído. A Bíblia diz que quando o homem caiu no pecado, toda a natureza sofreu maldição. Em outras palavras, era impossível que o homem que estava em pecado vivesse num ambiente perfeito de paraíso. Toda a natureza está sob maldição.
Mas, no que se refere a desastres, isso não significa que Deus tem uma política de não intervir em nada. Muitas pessoas querem proteger Deus do que está bem claramente ensinado na Bíblia, que mostra que Ele está envolvido nos desastres naturais. Não é Deus que os causa, mas o próprio fato de que Ele poderia impedi-los mostra que precisamos enfrentar com honestidade o fato de que desastres podem acontecer dentro da providência de Deus.
Permita-me dar-lhe alguns exemplos. Durante a época das pragas no Egito, é óbvio que Deus enviou essas pragas. Então vemos também a época de Noé: quem enviou o dilúvio foi evidentemente Deus. A Bíblia diz com relação a Jonas que Deus enviou uma tempestade ao mar. Temos de ver Deus nos desastres naturais. A pergunta óbvia é: por que Ele os permite e o que há para se aprender com eles.
Pergunta: Que tipos de lições podemos aprender com os desastres naturais?
Lutzer: Os desastres naturais são um megafone de Deus e eles nos ensinam várias lições. Primeira de todas, os desastres naturais nos mostram a incerteza da vida. Milhares de pessoas acordam de manhã não sabendo o que vai acontecer naquele dia, tais como a terrível devastação no Haiti e em outros lugares. Havia um casal que partiu da Califórnia porque tinham medo de terremotos. Então, quando chegaram ao Missouri, eles foram mortos num furacão. Não podemos escapar da realidade de que a vida é muito, muito curta e é possível enganarmos a nós mesmos.
Quando assisto ao noticiário e vejo esses desastres, é como um prenúncio dos desastres naturais que algum dia sobrevirão à terra. Quando olhamos para a segunda vinda de Cristo, vemos que há diferentes desastres naturais ligados à volta dEle.
Em conclusão, penso que esta é a melhor ilustração. Todos os 10 filhos de Jó morreram num desastre natural. Havia uma tempestade e forte ventania que derrubaram a casa. Jó se deparou com o fato de que por causa de um desastre natural, há 10 túmulos recém-cavados no cemitério. Então, e agora: o que é que ele vai fazer?
Sua esposa o orienta a xingar Deus e morrer. Mas Jó disse: “O Senhor deu e o Senhor levou. Bendito seja o nome do Senhor”. Jó nos mostra que é possível adorar a Deus mesmo sem explicações, até mesmo quando não conhecemos todas as razões. Aqueles que adoram a Deus sob essas condições são de forma especial abençoados.
Traduzido e editado por Julio Severo do artido de Charisma: Where Is God in Natural Disasters?
Leitura adicional:

4 comentários sobre “Onde está Deus nos desastres naturais?

  1. Toda vez que ocorre algum desastre natural (ou alguma tragédia de grandes proporções), a primeira (e inevitável) pergunta é sempre a mesma: “Onde está (ou estava) Deus? Deus não poderia fazer nada para evitar isso?”Para respondermos de forma honesta a tal pergunta, temos que fazer 2 coisas:– Conhecer a Deus em Sua verdadeira essência (e reconhecer que Ele é o Senhor e Soberano do Céu, da Terra e de todo o Universo);– Conhecer a Palavra de Deus (e saber o que Ele, dentro da Sua Palavra, estabelece para o mundo).Por que eu digo isso? Por uma razão muito simples: se nós enxergarmos as coisas espirituais como elas realmente são (dentro da Palavra de Deus), reconheceremos que tudo que acontece em todo o mundo está previsto na Palavra de Deus (e que Ele tem o controle de tudo). Sem uma visão espiritual suficientemente madura ou desenvolvida, emitiremos opiniões baseadas somente em meras suposições, ideias, e filosofias humanas e imperfeitas. É como disse sabiamente o apóstolo Paulo:“Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e nem pode entendê-las, pois elas se distinguem espiritualmente” (1 Coríntios 2:14)Torno a repetir o que eu já comentei em artigos anteriores: a partir do momento em que uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente em sua própria sabedoria, essa mesma nação fica espiritualmente desprotegida. E aí ela se torna uma presa fácil para os ataques do diabo e dos demônios (e também de todo tipo de pecado e vício). É como disse o salmista:"Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham aqueles que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela" (Salmo 127:1)O profeta Jeremias diz a mesma coisa:"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)A Palavra de Deus deixa claro que nestes últimos dias haverá muitas pragas e tragédias ambientais (inclusive grandes terremotos), que virão como juízo e conseqüência de todos os pecados da sociedade. Quando Deus castiga uma nação, é porque Ele está irado com o pecado das pessoas. Mesmo assim, as pessoas não querem se arrepender. É como diz a Bíblia:"E não se arrependeram dos seus homicídios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos" (Apocalipse 9:21).Mesmo sabendo desta verdade da Palavra de Deus, algumas certezas nós temos:– A geração moderna não se arrependerá de seus homicídios: assassinato de bebês inocentes e indefesos através do aborto (e também dos métodos anticoncepcionais), eutanásia, sacrifício de seres humanos em rituais de bruxaria e magia negra, experiências científicas com embriões (células–tronco), etc;– A geração moderna não se arrependerá de suas feitiçarias: invocação de demônios e seus poderes sob diversas formas (inclusive macumba, umbanda, quimbanda, candomblé, vodu, espiritismo, magia negra, mediunidade, e diversos outros rituais) e de promovê-las como “cultura” nas escolas, TV e outros meios educativos (e isentando-as de críticas);– A geração moderna não se arrependerá de sua prostituição: adultério, sexo fora do casamento, promoção e divulgação do homossexualismo, pornografia, pedofilia, educação sexual pornográfica nas escolas, etc;– A geração moderna não se arrependerá de seus roubos: numa cultura onde muitos querem tirar vantagem do próximo na primeira oportunidade, tudo é permitido (especialmente por meio de cargos governamentais). Isso sem contar o quanto pagamos de impostos ao governo!Uma coisa é certa: enquanto a humanidade não se arrepender de seus pecados (e não voltar à obediência à Palavra de Deus), sempre sofrerá os mais diversos juízos da parte de Deus! É como disse o apóstolo Paulo:"Não erreis: Deus não Se deixa escarnecer. Porque tudo que o homem semear, isso ele também ceifará" (Gálatas 6:7).P.S: Se alguém quiser se manifestar, esteja à vontade

  2. O presbítero Valdomiro disse uma coisa que me chamou a atenção:"… a partir do momento em que uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente em sua própria sabedoria, essa mesma nação fica espiritualmente desprotegida. E aí ela se torna uma presa fácil para os ataques do diabo e dos demônios (e também de todo tipo de pecado e vício)… "Talvez muitos daqui não saibam (ou talvez não estejam lembrados), mas a Bíblia narra um episódio que confirma estas palavras do presbítero Valdomiro. Vejamos:Joaquim tinha subido ao trono de Judá aos 8 anos de idade (2 Crônicas 36:9). O momento da nação era crítico. A ameaça dos caldeus era um perigo iminente. Era preciso que um rei se colocasse ao lado de Deus para reestabelecer a segurança do povo judeu. A situação era momentaneamente grave, mas não irremediável. O futuro do reino de Judá estava nas mãos de Joaquim. A escolha que ele fizesse fatalmente selaria o destino da nação. Nem mesmo todos os exércitos estrangeiros poderiam subjugar (ou destruir) uma nação que tivesse Deus a seu favor.Muito dependia de Joaquim. Daria ele o bom exemplo a todos? Romperia ele com a idolatria pagã que asfixiava espiritualmente a nação? Não, infelizmente não. Dele é dito que "fez o que era mau os olhos do Senhor" (2 Crônicas 36:9). O apego ao pecado era demasiadamente forte em sua vida. Ao invés de entrar pela porta estreita, preferiu o atalho largo da perdição (Mateus 7:13–14).Este mesmo atalho foi atraente no início, mas resultou em desastre pouco tempo depois: Jerusalém e Judá caíram nas mãos de Nabucodonosor, e Joaquim e sua família foram levados para o exílio (Jeremias 22:24–30;24:1). Joaquim só foi libertado do cativeiro 37 anos mais tarde, já no tempo de Evil–Merodaque, o novo rei da Babilônia (Jeremias 52:31).Se Joaquim e o reino de Judá tivessem sido fiéis a Deus desde o princípio, esta mesma história certamente teria um outro final totalmente diferente!Não duvido nada de que a mesma coisa pode acontecer não só com os Estados Unidos, como também com outros países que desprezam a obediência à Palavra de Deus! A respeito disso, o apóstolo Paulo advertiu sabiamente:"Não erreis: Deus não Se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso ele também ceifará" (Gálatas 6:7)Será que alguém aqui ainda tem alguma dúvida disso?

  3. O mal surge quando rejeitamos a DEUS. O rejeitamos , não oramos , praticamos todo tipo de mal e violência e ainda queremos que ele nos livre? mesmo tendo rejeitado a todas as coisas e livramentos que ele quer nos dar? O excluímos de nossas vidas e ainda o culpamos de todo o mal que nós mesmos criamos ( e amamos ) no mundo? Queiram desculpar-me , mas DEUS , MEU PAI é um cavalheiro senhores , e a seu tempo intervêm , exorta, educa , sorrí pra nós , e finalmente , quando o rejeitamos, simplesmente se retira… Simples assim.

  4. Concordo com vc Fabiano !Uma pseudo leizinha , que não existe , não pode falar mais alto do que a lei de liberdade religiosa, e nem contra a de discriminação religiosa! Existe outro porém , somos todos iguais perante a lei, mas cá entre nós, eu não quero ser comparado a esses gays não…. Não é um "preconceito" é simplesmente porque não me troco por nhum destes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s