Governo Dilma falta com a palavra e promove o aborto

Governo Dilma falta com a palavra e promove o aborto

Texto preparado e aprovado na reunião extraordinária de 23/06/2012     

No dia 16 de outubro de 2010, a então candidata a Presidente da República, Dilma Rousseff, assinou uma carta de compromisso na qual afirmava:
“Sou pessoalmente contra o aborto e defendo a manutenção da legislação atual sobre o assunto. Eleita Presidente da República, não tomarei a iniciativa de propor alterações de pontos que tratem da legislação do aborto e de outros temas concernentes à família”.
Em 4 de outubro de 2010, o Diário Oficial da União publicava a prorrogação, até fevereiro de 2011, do termo de cooperação Nº 137/2009, assinado alguns dias antes pelo governo Lula, criando no Ministério da Saúde um grupo de “estudo e pesquisa para despenalizar o aborto no Brasil e fortalecer o SUS”.
Se a Presidente Dilma fosse coerente com o que escreveu na carta de 16 de outubro, logo eleita, acabaria com este grupo de estudo e pesquisa. Mas não foi isto que ela fez.
Um novo termo de cooperação Nº 217/2010 foi publicado no Diário Oficial do dia 23/12/10 para criar um “grupo de estudo e pesquisa para estudar o aborto no Brasil e fortalecer o SUS”. Do nome do grupo foi retirado o termo “despenalizar”, mas os demais nomes e detalhes são os mesmos. Este novo termo de cooperação foi prorrogado através de nova publicação no Diário Oficial de 22/12/11 e novamente prorrogado com publicação no Diário Oficial de 09/01/12 para vigorar até 30/08/12.
Em fevereiro deste ano, a Presidente Dilma designou a socióloga Eleonora Menicucci para Ministra da Secretaria de Políticas das Mulheres. A nova Ministra, que também integra o grupo de estudo sobre o aborto, fez apologia do mesmo, relatou ter-se submetido pessoalmente duas vezes a esta prática e afirmou que levaria para o governo sua militância pelos “direitos sexuais e reprodutivos das mulheres” (Folha de São Paulo, 07-02-2012) expressão eufemística para abrir espaço ao direito ao aborto. Ela também declarou ter participado na Colômbia de um curso de autocapacitação para que pessoas não médicas pudessem praticar o aborto pela técnica da aspiração manual intra-uterina (Estado de São Paulo, 13-02-2012).
As decisões e os atos de uma pessoa falam mais alto do que as palavras faladas ou escritas. Com a designação de Eleonora Menicucci como Ministra das Políticas para as Mulheres, a Presidente Dilma rasgou a carta de 16 de outubro de 2010, pois entrou em contradição com o compromisso assumido naquele documento.
Os jornais Folha de São Paulo, Estado de São Paulo e Correio Braziliense noticiaram, na primeira semana de junho deste ano, que o governo Dilma, quebrando todas as promessas feitas, estaria implantando, através do Ministério da Saúde, uma nova estratégia, desenvolvida pelos promotores internacionais do aborto, para difundir esta prática, burlando a lei sem, por enquanto, modificá-la. Segundo esta estratégia, o sistema de saúde passará a acolher as mulheres que desejam fazer aborto e as orientará sobre como usar corretamente os abortivos químicos, garantindo em seguida o atendimento hospitalar, e serão criados centros de aconselhamento para isso (Folha de São Paulo, 06-06-12).
Na última semana de maio a Ministra Eleonora Menicucci afirmou à Folha de São Paulo que “Somente é crime praticar o próprio aborto, mas que o governo entende que não é crime orientar uma mulher sobre como praticar o aborto” (Folha de São Paulo, 06-06-12).
Ainda, segundo a imprensa, estaria sendo elaborada uma cartilha para orientar as mulheres na realização do aborto com segurança (Estado de São Paulo, 07-06-12).   Estaria também sendo elaborada, por parte do Ministério da Saúde, uma nova Norma Técnica sobre os cuidados do pré-aborto, sendo que os do pós-aborto já estão garantidos por Norma Técnica anteriormente publicada (Correio Braziliense, 09-06-12).
Como coroamento de todo este trabalho de difusão da prática do aborto, mesmo deixando as leis como estão, o Correio Braziliense, do dia 9 de junho, noticia a possibilidade por parte do Ministério da Saúde de liberar para o público a venda de drogas abortivos, atualmente em uso somente nos hospitais.   
De fato, esta é a política da Presidente Dilma: incentivar e difundir o aborto, favorecendo os interesses de organismos internacionais que querem impor o controle demográfico aos países em desenvolvimento, mesmo se isto leva a Presidente a desrespeitar a vontade da maioria do povo brasileiro, que é contrária ao aborto, e a infringir as mais elementares regras da democracia.
Não queremos que a Presidente Dilma faça pronunciamentos por palavras ou por escrito, queremos fatos:
1. A demissão imediata da Ministra Eleonora Menicucci da Secretaria das Políticas para as Mulheres.
2. A demissão imediata do Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, que está coordenando a implantação das novas medidas a serem tomadas por esse Ministério.
3. O rompimento imediato dos convênios do Ministério da Saúde com o grupo de estudo e pesquisa sobre o aborto no Brasil.
Comissão Regional em defesa da Vida como “Comissão Regional representando as Comissões em Defesa da Vida das Dioceses do Estado de S.Paulo
Divulgação: www.juliosevero.com

Candidata presidencial do Brasil com mais chance de vencer assina compromisso de não descriminalizar aborto

2 comentários sobre “Governo Dilma falta com a palavra e promove o aborto

  1. Enganação e Mentira reina nesse partido PT dura realidade que o país tem que encarar os valores deles anticristãos.OLHAS CONSEQUÊNCIAS DO INCENTIVO AO SEXO LIVRE sem compromisso de um casamento( incentivo do governo de uso camisinha e métodos contraceptivos etc..)incentivo AO ABORTO TRAZENDO PARA SOCIEDADE ESSE RESULTADO.Irmão Severo gostaria muito que você fizesse um texto com sua análise de um caso de polícia um crime "macabro" aconteceu aqui no brasil em São gonçalo/ RJ embranger os temas: Incentivo nas escolas, meios de comunicação:TV(NOVELAS),TEATRO, CINEMA, conselhos de psicólogos, terapeutas, psicanalistas. Olha que tá dando esses incentivos do erro precocidade a "educação sexual" dos menores de idade, pedofilia, incesto(nesse caso era primo da vítima de sangue),falta de cuidado dos pais,aborto, psicopatia. http://extra.globo.com/casos-de-policia/jovem-degola-prima-de-13-anos-que-estaria-gravida-dele-em-sao-goncalo-5460124.htmlEster!!!!!

  2. Ola Júlio;Tenho certeza que para voce não tem nenhuma surpresa, pois acompanho sues alertas ja faz tempo, para mim também não vejo nenhuma surpresa, pois em 2010 durante a campanha a candidata Dilma se assustou com a reação dos cristãos e escreveu essa nota ai que não quer dizer nada, mas a maioria da liderança cristã brasileira que é composta de cegos politicos e alguns mal intencionados e a "bancada evangélica" que é toda mal intencionada sairam defendendo essa nota e dizendo que a candidata Dilma era próvida desde criancinha, o que na verdade ela escreveu foi que o governo não faria um projeto de leis, masss não moveria uma palha para implantar uma cultura próvida no Brasil, pelo contrario manteve e avançou o que pode na agenda da morte promovida pela esquerda mundial, isso é um fato o resto é balela de deputado ou senador que depende dessas pautas da esquerda para manter hegemonia no poder.Isso ocorreun nos USA onde acontece 800 mil aborto anuais e os cristãos ignorantes de lá criaram até um ministério que fica de plantão na frente de clínicas de aborto tentando evitar ou salvar alguns bebes, em breve isso também estara ocorrendo por aqui, pois a cada eleição a esquerda entra mais mais nas instituições e hoje eles ja não precisam da opinião publica, pois o supremo tribunal ja esta pronto para seguir a pauta deles, pois a esquerda os nomeou.Mas o que me deixa indgnado é que lideres cristãos que deveriam ser esclarecidos são cegos politicos e como tal se tornam cúmplices dessa ação devastadora da esquerda brasileira.Uma coisa eu digo não conte comigo para ficar tentando segurar o avanço da esquerda brasileira, pois para mim ficou claro: Se essa grande maioria de cristão brasileiro fossem contra eles, eles jamais governariam o Brasil por tantos anos, se estão no poder é porque os cristãos os apoiam e gostam de serem contrariados e humilhados por eles,e digo mais duvido que oração resolva, pois os cristãos os colocaram lá por tres vezes, como devemos orar, pedir a Jesus o que?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s